Casapueblo: não dá pra não visitar!


Se você for a Punta del Este, certamente visitará a Casapueblo, o monumento mais conhecido e cartão-postal do lugar (e que, tecnicamente, nem de Punta del Este é, mas tá valendo! Fica a uns 10km da Península, na região de Punta Ballena).

Casapueblo1_edit
Esculpida como se fosse um castelo de areia

O local era a casa de veraneio de Carlos Páez Vilaró, até hoje um dos artistas uruguaios de maior expressão, não apenas na América Latina, mas no mundo inteiro. A Casapueblo foi inteiramente esculpida pelo artista a duas mãos, sem nenhuma planta ou projeto, e até em razão disso que se tornou tão mundialmente famosa. Sua arquitetura, em alguns aspectos, lembra bastante as casas brancas de Santorini, na Grécia. Mas, de acordo com próprio Vilaró, sua inspiração não teve absolutamente nada a ver com isso; ele diz ter sido de um Forneiro, pássaro típico do Uruguai, que tirou as ideias pra construção da obra.

De início, a Casapueblo era residência de Vilaró. Depois passou a ser ateliê. Hoje, abriga um museu em homenagem ao artista (que faleceu em 2014, aos 90 anos), uma galeria de arte, um hotel (o Club Hotel Casapueblo, que ocupa a maior parte construída) e um restaurante com o melhor da gastronomia internacional (o Las Terrazas).

casapueblo7_edit
Conhecendo melhor o trabalho de Vilaró no museu do artista
casapueblo4_edit
Muita cor nas gravuras e desenhos de Vilaró

No interior, além de detalhes de uma peça arquitetônica, por assim dizer, de muita personalidade, é possível conhecer bastante o trabalho de Vilaró. Ele trabalhou com quase todas as manifestações de arte – pintura, escultura, cerâmica, desenho – e ainda foi escritor e compositor. Suas obras são de um colorido encantador, de formas únicas e bem irreverentes. Particularmente falando, achei que lembraram um pouco as dos espanhóis Dalí e Pablo Picasso, artistas de quem Vilaró foi bem amigo, inclusive.

casapueblo2_edit
ìmãs, gravuras e porta-copos – Algumas das peças que se encontram á venda na loja do museu

Na loja do museu estão alguns de seus trabalhos (originais e réplicas)  – Vilaró pintou e expôs obras em diversos países, como Brasil, Estados Unidos, Espanha, Guiné – além de souvenires, livros e gravuras.

O que achei, e isso é opinião minha, foi que a parte visitável da casa era bem pequena. Não sei se por vontade de ver mais cômodos da Casapueblo (dos 52 quartos que Vilaró criou ali, nenhum é igual ao outro!), ou se porque era pequena mesmo (em comparação a todo o resto) e ponto. O destaque, além, é claro, do trabalho do artista, vai para a vista espetacular que se tem do terraço da casa (local onde hoje funciona o restaurante). O que mais tinha era gente que se sentava por lá para beber um espumante e apreciar o sol se por. De fato, é lindo – um entardecer como poucos, relaxante, cultural, diferenciado (um pouco turístico, mas tudo bem…)…o que mais se quer?

casapueblo14
A linda vista para o mar que se tem do terraço

 

casapueblo11
Assim dá pra ter uma noção do quão gigante é a Casapueblo

Ah, e pra quem interessar possa (ou pra quem ficou, como eu, naquela de “puxa, queria ver mais disso aqui! Acho que vou me hospedar neste hotel da próxima vez!”), o Club Hotel Casapueblo abre durante o ano inteiro, com diárias a partir de R$ 662 (quarto duplo superior, com café da manhã incluso).

O complexo tem piscina, academia, sauna, serviços de spa, solário e uma das mais belas vistas da região! Há quartos duplos, como também apartamentos de 2 e 3 quartos, que comportam até 6 pessoas. Se ficar interessado na estadia, recomendo reservar com o máximo de antecedência, porque a procura é muita e o número de quartos é pequeno.

Mesmo se não for se hospedar ali, vai voltar com belíssimas fotos, e a experiência de um dia na tranquilidade do ambiente e na extrema beleza natural de todo o entorno de Punta Ballena.

Talvez também se interesse por:

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>