Cruzeiros: dúvidas/ perguntas frequentes 1


Cruzeiros_2_aberturaEste post é complementar ao primeiro que escrevi sobre esse tipo de viagem (se quiser ler a introdução sobre cruzeiros, clique aqui) e serve para esclarecer suas principais dúvidas sobre navios e viagens em alto mar. Caso você ainda tenha curiosidade de saber alguma coisa que eu não tenha colocado nas questões a seguir (são 25, ao todo), é só deixar seu questionamento no campo de comentários, que eu tento responder em breve!

1. É caro?

2. Enjoa?

3. É perigoso?

4. Tem muita farofa?

5. Como devo escolher o cruzeiro ideal?

6. Encontrei um mesmo itinerário feito por várias empresas diferentes. Faz diferença?

7. Os procedimentos de embarque e desembarque são tranquilos?

8. Quanto posso levar de bagagem?

9. Que roupa devo vestir e o que não pode faltar na mala?

10. Existem itens proibidos pra uso e manuseio dentro do navio?

11. Como funciona o sistema all-inclusive?

12. Posso beber gratuitamente no navio?

13. O que preciso pagar extra?

14. Tem acesso à internet a bordo?

15. Celulares e eletrônicos funcionam em alto mar?

16. Como funciona o pagamento dentro do navio? Aceitam cartão, cheque, dinheiro?

17. Se eu passar mal dentro de um navio, como devo proceder?

18. Como fico sabendo das atrações e atividades do navio?

19. Se precisar de qualquer coisa na minha cabine, a quem devo chamar?

20. É seguro levar crianças ou idosos? Grávidas e portadores de necessidades especiais podem embarcar? 

21. Vale a pena comprar as excursões dos navios?

22. A saída do navio é obrigatória nos dias em que ele atraca?

23. Posso comprar coisas fora do navio e entrar com essas mercadorias? Existe alguma cota?

24. Devo pagar gorjetas? Como é isso, na prática?

25. Os preços das lojas do navio são bons? Compensa comprar a bordo?

 

1. É caro?

Depende muito do que você vai fazer, de por onde você pretende navegar e de qual companhia vai escolher – tem roteiros específicos, exóticos, de luxo, que podem encarecer bastante uma viagem de cruzeiro. Mas, de forma geral, não existe turismo mais em conta! Com o preço que se paga pras principais companhias de cruzeiros, não daria pra fazer metade das coisas que eles oferecem se fosse pra seguir o mesmo roteiro via terra/ ar. É realmente um EXCELENTE custo x benefício!

2. Enjoa?

A pergunta que todo mundo faz: ninguém passa mal com tontura a bordo, não? Eu garanto que é bem difícil! Pra um primeiro momento, e principalmente pra quem faz um cruzeiro pela primeira vez, dá uma certa agonia, medo de ficar nas áreas externas, de ficar muito tempo olhando pro mar…Mas logo, logo, isso tudo passa! Ninguém fica tonto e nem se incomoda demais com o balanço do navio – tem horas que a gente até nem sente! Claro, quando venta demais às vezes o navio balança, mas ele é tão estável, que acaba não sendo nada muito desconfortável. Se você nunca fez um cruzeiro por medo de enjoar, esqueça essa ideia, e vá ser feliz em alto mar!

3. É perigoso?

Não dá pra garantir 100% de segurança e confiabilidade em NADA, mas riscos de acidentes com navios são muito, muito remotos. No primeiro dia a bordo, TODOS, sem exceção, precisam (obrigatoriamente) passar por um treinamento de segurança. Nessa hora a equipe do navio vai ensinar o que fazer em caso de emergência. Pra garantir sua tranquilidade, há kits salva-vidas pra TODAS as pessoas a bordo (é obrigado a ter, norma de segurança e lei de marinha) e há botes suficientes pra que também todas as pessoas fiquem abrigadas, caso dê algum problema (Deus nos livre!) e seja necessário evacuar o navio. E sobre velocidade, no meu primeiro cruzeiro ficávamos nos perguntando a quantos km/h que estávamos navegando, a título de curiosidade mesmo. Chutamos todas as velocidades que vocês possam imaginar – eu, pelo menos, sempre achei que era um transporte muito veloz, principalmente por ser tratar de algo tão imenso como um navio. Daí lembramos que essas informações (de velocidade do navio, velocidade do vento, clima e tudo mais) estão dispostas diariamente a todos e fui correndo checar! Tava calculada em pés, mas depois de usar um conversor de medidas, descobri que a velocidade oscilava entre 38 e 40km/h, ou seja: é bem devagarinho! Pra terem uma noção, o atual navio mais rápido do mundo navega a 56km/h! Então não há riscos de grandes catástrofes por conta da velocidade, em si. Também fique bem tranquilo com relação a isso.

4.Tem muita farofa?

Dependendo da companhia, até tem. Aula de dança na piscina, gincanas, karaokês, shows interativos, zumba…essas coisas! Eu, que costumava fazer cara feia pra isso tudo, acabei achando BEM divertido e entrei na onda (é meio clima de férias em Porto Seguro ou no Caribe!). Mas se você não curtir NEM UM POUCO esse tipo de atividade, dá pra ficar numa calmaria, até porque sempre tem um canto mais sossegado no navio (e juro que tem! Em algumas partes a gente custa a acreditar que tem uma multidão gritando e cantando do lado de fora!). Ou então escolha uma companhia que tem o perfil mais relax, mais sofisticado (mas, ainda assim, bastante entretenimento), como a Celebrity Cruises, a Princess Cruises, a Azamara ou a luxuosa Crystal Cruises.

5. Como devo escolher o cruzeiro ideal?

Já comentei mais ou menos isso no post anterior, e até acho que é uma questão bastante relativa. Depende de quanto você está disposto a gastar, qual o propósito da viagem e com quem você viaja. Existem navios ideais pra casal com crianças, existem navios mais apropriados pro publico maduro, tem pra quem não vive sem atividade física, tem pra viagem romântica, tem pra grupos…tem de tudo! Essas informações você consegue bem detalhada no próprio site dos navios. Recomendo ficar entre uns 3 (provavelmente sua escolha inicial vai ser pelo itinerário) e depois ler tudo sobre esses “finalistas” pra chegar a uma conclusão acertada. Os sites de reviews também ajudam bastante nisso! Já sugeri por aqui e repito que o Cruise Critic é excelente para se saber mais sobre um navio/ companhia! O site está todo em inglês, mas você pode tranquilamente usar o Google Tradutor pra saber o que andam comentando por aí e se o que você está pensando em comprar é exatamente aquilo que você procura…

6. Encontrei um mesmo itinerário feito por várias empresas diferentes. Faz diferença?

Sim, faz. Mais ou menos pelo mesmo motivo respondido acima. O certo é checar bem as particularidades do navio, pra ver se ele vai ficar bem adequado pro seu perfil e propósito de viagem. Essa diferença a gente sente, na verdade, à medida que vai fazendo mais cruzeiros – não tem como, a comparação é inevitável! Se é a sua primeira vez, sugiro nem se estressar muito comparando companhias. Na “pior” das hipóteses, vai ser MUITO legal!

7. Os procedimentos de embarque e desembarque são tranquilos?

Muito tranquilos, muito organizados, transtorno praticamente zero. Não é aquela loucura de aeroporto, por exemplo.

8. Quanto posso levar de bagagem?

Não há um limite de bagagem expresso, mas é interessante não abusar no tamanho das malas, até pra que sobre mais área nas cabines pra circulação (principalmente pra quem vai ficar nas cabines internas). E realmente não há necessidade de sair carregando muita coisa, mesmo em navios de longa duração (15 dias ou mais).

9. Que roupa devo vestir e o que não pode faltar na mala?

Para o dia, quase todo mundo fica com roupas de banho e peças mais leves (saídas de banho, vestidinhos e batas para as mulheres; calção de banho, short e camisa/ camiseta para os homens). Para a noite que as pessoas se arrumam de verdade, como se tivessem saindo pra jantar num restaurante bem bacana, sabe? Tem uns, um pouco mais exagerados, que usam trajes de gala e tudo (sempre achei meio Titanic, meio brega demais, mas se a gente parar pra pensar que, pra muita gente, o passeio de navio é “O” evento aguardado do ano…tem muito tiozinho e vozinha que só vai poder se vestir super bem nessa ocasião…então, pensando por eles, até é bacana, vai…)! Leve roupas bem confortáveis e versáteis pro dia, e capriche no visual com um esporte fino ou social para as noites. Não deixe de colocar na mala: óculos, protetor solar e chapéu, para proteger do sol; um lenço e cardigãs, tanto pra mulheres como pra homens, pra proteger do vento e também do forte ar condicionado em algumas áreas; chinelo e tênis; filmadora, máquinas fotográficas ou celulares com boas câmeras pra não perder nenhum registro; roupas de academia, pra quem quiser fazer exercício ou as atividades de aventura fornecidas pelo navio; um kit de primeiros socorros, com esparadrapo, algodão, remédio pra enjoo e indigestão, se você insistir que vai passar mal a bordo (o de indigestão, acho importante! A gente come tanto num navio, mistura tanta coisa, pode ser mesmo que algo não caia muito bem…)….

10. Existem itens proibidos pra uso e manuseio dentro do navio?

No geral, os mesmos proibidos em voos: objetos cortantes, inflamáveis, explosivos, perigosos. Também não pode entrar com ferro de passar, chapinhas, essas coisas, pra que seja evitado um incêndio no navio (vai que alguém esquece ligado e tal…). Essa do ferro e fui descobrir na prática, quando a pessoa responsável pela limpeza do meu quarto viu e me falou. Até consegui entrar com isso, mas tem gente que não consegue. A solução? Dá pra pedir emprestado pras camareiras, ou pagar pra que alguém passe suas roupas.

11. Como funciona o sistema all-inclusive?

Esse sistema pode mudar de uma companhia pra outra mas, no geral, são servidas 3 refeições maiores (café, almoço e jantar) e lanches em alguns períodos (meio da tarde, por exemplo), sem bebidas. Ah, e as comidas são excelentes! Há um menu variadíssimo, e todas são muitíssimo bem elaboradas. Cruzeiro é a nossa oportunidade de comer até dizer chega!

12. Posso beber gratuitamente no navio?

Algumas poucas empresas incluem todas as bebidas (até alcoolicas) no valor do cruzeiro mas, pra maioria, há que se pagar um valor X por dia pelo que se quer beber. Ninguém é exatamente obrigado a comprar pacotes de bebidas (mesmo o de bebidas não alcóolicas, como sucos, refrigerantes e café – nem isso vem no preço normal do cruzeiro), dá pra pagar separado só o que se for consumir. Mas já adianto que os pacotes valem bem mais a pena, mesmo pra quem não bebe quase nada.

13. O que preciso pagar extra?

Apenas coisas muito especiais e/ou particulares, como aulas, serviços de spa e de salão de beleza, personal trainner…Alguns navios também possuem alguns restaurantes especiais, a la carte (de gastronomia internacional), que cobram à parte. Você também vai precisar pagar a mais o que resolver comprar pra uso próprio, como as excursões do navio, produtos do shopping, itens de farmácia, fotografias tiradas no navio etc. Ah, e as gorjetas (que comento mais à frente)!

14. Tem acesso à internet a bordo?

Tem, se você pagar por isso. E, sem a menor dúvida, é o item MAIS CARO do navio. Pra quem não consegue, ou não pode, ficar desconectado de jeito nenhum, dá pra comprar algum pacote. Existem dois tipos de internet a bordo: a sem-fio, que você pode conectar do seu celular, tablet ou computador (geralmente sai mais caro se você optar por mais de um eletrônico pra utilizar); e a com-fio, que você pode utilizar nos terminais de internet e cybers cafés – essa é um pouco mais em conta. Também dá pra escolher se quer ficar conectado por toda a sua viagem, por exemplo (varia de acordo com a cia, mas na Carnival, o pacote de alta velocidade pro  cruzeiro inteiro sai por US$99,99), ou por dia de viagem (a Norwegian cobra US$29,99 por dia de cruzeiro, para os que duram até 12 dias). O mais em conta sai comprar um pacote de minutos. Eles variam entre US$19,99 e US$24,99 por 30 minutos. Claro que vão diminuindo de preço/ por minuto, quanto mais horas você contrata.  Tem gente que reclama que a velocidade é lenta e tal, mas nas experiências que eu tive, era bem rápido, não tive do que reclamar (tive: do preço!).

15. Celulares e eletrônicos funcionam em alto mar?

Eletrônicos que não precisam de internet funcionam normalmente. Celulares, que depende. Quando se está perto da costa e você contratou o seu pacote de roaming internacional do Brasil, dependendo da operadora vai funcionar NORMALMENTE (meu celular é da Vivo e funcionava perfeitamente!). Muito em alto mar que não existem milagres…ou você fica mesmo desligado do mundo, ou compra o serviço de telefone e internet do navio, que são bem carinhos…Minha dica é: esqueça telefones, só mesmo pra emergência da emergência. Sai caro demais, tanto o deslocamento nacional, quanto (e ainda mais) o internacional.

16. Como funciona o pagamento dentro do navio? Aceitam cartão, cheque, dinheiro?

Você recebe um cartão de identificação do navio que é o seu faz-tudo lá dentro: dá acesso às dependências e ao próprio navio, permite que você saia dele, garante seu lugar no jantar, permite que você coma e beba, abre a sua cabine e “paga” por suas aquisições. Tudo o que você consome/ compra é creditado nesse cartão e, ao final do cruzeiro, você vai efetuar o pagamento de verdade – ou no cartão de crédito que já ficou salvo no registro do próprio navio, ou em dinheiro.

17. Se eu passar mal dentro de um navio, como devo proceder?

Se for alguma coisa relativamente normal, como pequenos arranhões e machucados, dores fracas, cólicas, mal estar, existe uma farmácia ou lojinha a bordo com os principais remédios (os que não precisam de prescrição médica) e itens de higiene (escovas de dente, absorventes, desodorantes, sabonetes, lâminas de barbear etc.). Se for algo mais sério, você pode se dirigir no Centro Médico do Navio. As consultas são bem caras (a da Royal, se eu não me engano, era US$200, e pro médico dar só uma olhadinha!), mas pelo menos eles garantem total acompanhamento profissional. Ou seja: ninguém permanece passando mal por muito tempo…

18. Como fico sabendo das atrações e atividades do navio?

Todos os dias eles deixam na cabine um jornal/ informativo no seu idioma para as atrações e demais informações do dia seguinte. Tem dados do tempo e clima, assim informações do próximo destino e horário de cada atividade no navio. Você não é obrigado a participar de tudo, nem mesmo de aparecer na sua mesa de jantar especial (vai quando quiser). Você também não é obrigado a descer no horário em que o navio atraca, por exemplo: o informativo diz que a porta do navio abre as 8h para quem quiser sair dele, mas você não precisa sair exatamente às 8h; pode sair às 9h, às 10h, ao meio dia…E ainda sobre a programação a bordo, eles anunciam frequentemente nos alto falantes do navio, tipo “vai começar daqui a meia hora o torneio de poker”, “às 7pm tem o show tal no teatro” e tal.

19. Se precisar de qualquer coisa na minha cabine, a quem devo chamar?

Existe sempre um funcionário responsável pela sua cabine (e mais algumas outras, mas não muitas) que vai garantir a limpeza dela e tudo mais que você precisar (qualquer coisa MESMO!). Provavelmente ele vai se apresentar a você no seu primeiro dia a bordo e explicar como funciona e em que ele pode ajudar. Já os ricos mortais que ficam nas cabines mais tops podem contar com serviço de mordomo…daí, já sabem: regalias mil!

20. É seguro levar crianças ou idosos? Grávidas e portadores de necessidades especiais podem embarcar?

Sim, tanto idosos quanto crianças podem circular normalmente em navios. Há alguns cruzeiros com mais atividades para a criançada (com kids room, sala de jogos, recreação) e há também uns especiais pra terceira idade. Já as grávidas podem navegar até a 28ª semana de gestação. Os portadores de necessidades especiais também são bem-vindos. Esses dois últimos grupos devem comunicar essa condição no momento do check-in, ou mesmo da compra do cruzeiro, pra que seja preparado um serviço diferenciado a eles.

21. Vale a pena comprar as excursões dos navios?

Depende. É quase sempre mais caro. Tem lugares em que compensa MUITO pagar esse valor a mais – ou porque o acesso é difícil, ou porque o tempo em terra firme é reduzido, ou por ser um local muito particular, muito melhor de ser visitado com um guia. Mas tem muita coisa que dá pra fazer por conta! Do lado de fora dos portos sempre tem muita gente vendendo todo o tipo de passeios! Só se lembre de uma coisa, que até falei no post anterior: quem está fazendo tudo de forma independente tem que ficar de olho pra não perder o horário de regresso ao navio, porque eles não esperam 1 minuto que seja (e eu já passei um sufoco surreal por quase perder o horário!)!

22. A saída do navio é obrigatória nos dias em que ele atraca?

De forma alguma! Se você, por qualquer motivo, não quiser descer, pode ficar no navio aproveitando as coisas dele. As atividades não vão cessar porque é dia de parada! Vai continuar acontecendo muita coisa no navio mesmo em dias em que ele fica atracado num porto!

23. Posso comprar coisas fora do navio e entrar com essas mercadorias? Existe alguma cota?

Pode comprar, sim. Alguns itens como bebidas alcoolicas, objetos maiores (de decoração, por exemplo), ou cortantes, eles deixam confiscado e entregam a você no final do cruzeiro. Coisas como roupas, sapatos, souvenires estão liberadas pra acesso na sua cabine! As cotas são as mesmas pra entrada de mercadoria internacional no Brasil, estipulada pela Receita Federal  (se você voltar pro Brasil de avião, é de US$500; se voltar de cruzeiro ou via terra, cai pra US$300). Mas isso eles não checam no navio, não. Você tem que se preocupar com isso no regresso ao Brasil, apenas (nos casos de cruzeiros internacionais).

24. Devo pagar gorjetas? Como é isso, na prática?

Algumas empresas já computam esse valor no preço total do cruzeiro. Mas a maioria pede que você pague ao final da sua viagem. Claro, não é obrigatório, mas acho de ótimo tom você se propor a pagar. Sei que nós, brasileiros, não temos esse hábito, mas sempre que estamos viajando precisamos dançar conforme a música. Se é costume no lugar, precisamos fazer! E outra: os serviços em navios costumam ser tão bons, tão rápidos, tão agradáveis e tão eficientes, que nem tem como não bonificar as pessoas que nos atenderam. Eles entregam uma tabela com sugestão de valores, e pra quem você deve pagar – camareira (sugestão de US$1/ dia), auxiliar de cabine (de US$2/ dia), garçom no jantar (US$5/dia), chef ou maitre´d (US$5/dia), ajudante de garçom (de US$1,75/dia) – pelo menos o último que eu fiz sugeriu esses valores a essas pessoas. Se houver algum outro funcionário de quem você tenha gostado bastante, pode pagar gorjetas a ele também! Mas, por favor, não vá embora sem separar esses valores! Eles nos tratam pelo nome (uns queridos!), com a maior atenção e a mais presteza do mundo, é mais do que justo retribuir!

25. Os preços das lojas do navio são bons? Compensa comprar a bordo?

São preços com TAX FREE, ou seja, mais baratos, sim! No navio há acessórios (bolsas, relógios, canetas), joias, roupas, pequenos presentes, bebidas, chocolates, cosméticos…mais ou menos o que você encontra num free shop. Minha dica é: se gostar de alguma coisa e tiver vontade de comprar, espere um pouco! Todos os dias eles fazem liquidação de algum item específico (exemplo: óculos com 20% de desconto, bebida de pague1 e leve 2, e por aí vai…).

Talvez também se interesse por:

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

One thought on “Cruzeiros: dúvidas/ perguntas frequentes