Cruzeiros: vale a pena embarcar? 33


Cruzeiros_aberturaA vida inteira evitei viagens de cruzeiro, torcia muito o nariz pra esse tipo de turismo, por preconceito, mesmo. Mil e uma coisas passam na nossa cabeça quando pensamos em cruzeiros: primeira, que pode ser interessante apenas para casais mais maduros, que é coisa de gente velha e tal; segunda, que é muita farofa, que é brega, e qualquer coisa do gênero; terceira, que dá muito enjoo; quarta, que é o tipo de coisa “pega-turista”, repleta de armadilhas só pra fazer o freguês colocar a mão no bolso (com venda de passeios, de fotos, de bebidas…); e por aí vai…

Sempre preferi, quase que na maioria das vezes, as viagens mais independentes (apesar de que tem lugares em que é muuuuuuito melhor ir com 100% de assistência de um agente de viagem!). Sou curiosa, gosto de ir fuçando, de descobrir as coisas por conta própria, de não depender de ninguém, de passar horas pesquisando sobre meu destino escolhido (aliás, considero essa uma das partes mais gostosas de uma viagem), então não tenho muito perfil de pessoa que vai amar qualquer coisa que seja feita em grupo, excursão e tal. Num grupo de mais de mil, 2 mil, 3 mil pessoas num mesmo lugar, então…era do tipo “nem pensar!”!

Mas tinha decidido que queria porque queria visitar a Grécia, e tava com MUITO problema em arrumar um bom transporte entre as ilhas, para as datas em que eu estava disponível (pra piorar, era altíssima temporada, auge do verão europeu, com tudo a preços exorbitantes!). No fim das contas, ia acabar não sendo nada interessante – nem BARATO –  sair carregando mala de ilha em ilha, pra estadias tão curtas (1, 2 dias em cada lugar). Daí foi onde cogitei a possibilidade de procurar um CRUZEIRO que me levasse pra algumas dessas ilhas – acabei me convencendo de que seria o jeito mais prático, mesmo.

E foi! Não só me encantei com a minha experiência, como passei a fazer 1 cruzeiro por ano, praticamente. Tudo bem que eu comecei bem, já encarando um itinerário EXCELENTE de Sul da Itália, Grécia e Turquia (ia ser BEM difícil ser ruim!), mas o fato é que cruzeiros podem ser, sim, opções ideais pra quem busca comodidade, praticidade e tranquilidade. E mais: pra quem quer o melhor custo X benefício em se tratando de viagens!

Vou explicar direitinho como que funciona, pra que você analise se tem ou não a ver com o seu perfil. No fim das contas, garanto que vai ter!

Escolhendo o cruzeiro

Pra muitas pessoas, viajar de cruzeiro não significa férias, nem turismo, e sim, ESTILO DE VIDA. Existe MUITA gente (muito mais do que você possa imaginar!) que é viciada nesse tipo de viagem, e que não troca um cruzeiro por nada na vida! São os que já têm uma experiência bem considerável a bordo em empresas variadas e itinerários dos mais interessantes.

E aí você deve estar se perguntando: mas se todo cruzeiro oferece mais ou menos as mesmas coisas, por que existe um universo considerável de pessoas que mal desembarca de um e já embarca noutro?

Por isto: CADA CRUZEIRO É UM CRUZEIRO! A experiência de cada companhia, de cada itinerário, de cada duração de viagem pode ser completamente diferente, embora eles realmente ofereçam, mais ou menos, o mesmo pros viajantes. Tem cruzeiro indicado pra grupos de famílias, tem uns que são para casais com crianças, tem outros que não aceitam crianças a bordo de jeito nenhum, tem uns mais chiquetosos, tem os mais acessíveis, tem os cruzeiros com foco no entretenimento a bordo, tem outros com foco na gastronomia, tem os temáticos…ENFIM…realmente, cada cruzeiro, uma nova experiência.

Numa comparação meio tosca, é como fast-food: é tudo lanche rápido e de menor preço, mas o Mc Donald´s é diferente do Burger King, que por sua vez é diferente do Subway, que é diferente do Habib´s, e por aí vai…

Outro motivo é que, vamos combinar, é cômodo DEMAIS! Você não precisa se preocupar com ABSOLUTAMENTE NADA, que tudo vem à mão com facilidade. Ideal, portanto, pra quem quer férias sem incomodações…

A sua dúvida pode ser “e agora, qual cruzeiro/ navio/ companhia eu escolho?”. Pois bem…de forma BEM geral, a MSC, a Pullmantur e a Costa Cruzeiros, por geralmente oferecerem as melhores tarifas, são as mais democráticas (dá de tudo, todas as idades, todos os perfis!); a Royal Caribbean e a Carnival são bem focadas no entretenimento à bordo (ótimo para famílias e grupos), sendo que a última tem alguns temáticos para crianças, inclusive; a Princess Cruises e a Celebrity Cruises já têm mais o perfil de casais, pessoas mais velhas, ou quem quer mais sossego e qualidade máxima em tudo – são mais arrumadinhas (e bem por isso já têm valores mais salgadinhos que as outras); algumas companhias são bem exclusivas MESMO (para um número bem menor de pessoas) e focam no luxo, como a Crystal Cruises e Azamara, e essas eu indicaria pra casais em viagem romântica e pra quem tem mas dinheiro pra investir; tem, ainda, algumas companhias que fazem trajetos específicos e/ou exóticos, como a Australis, que faz Patagônia, e a Iberostar, pelo Amazonas (no geral, esses de trajeto bem específico também são mais carinhos, até pelo próprio perfil da viagem em si).

O interessante é verificar o navio, em específico. Porque uma mesma companhia tem vários navios, e tudo pode mudar bastante. A notícia boa é que, mesmo se a dúvida persistir depois de se olhar os itens e particularidades de cada um, a escolha final nunca vai ser muito infeliz! Por “pior” ou mais “inadequado” que seja um navio, ele vai surpreender demais, no fim das contas.

As cabines

Um mesmo navio oferece diferentes tipos de acomodação. As mais baratas são as internas, mais compactas, sem janelas e sem um espaço muito grande, mas com o suficiente pra uma estadia tranquila: banheiro, ar condicionado, frigobar, tv, pay-per-view, rádio, essas coisas. Já fiquei numa cabine interna e garanto que, se a grana tiver mesmo curta, dá pra ficar TRANQUILAMENTE! Mesmo as menores suítes têm espaço interno muito melhor do que o de muito hotel de categoria turística pelo mundo afora…

Aqua Class Suite Cat. AS
Cabine externa com varanda do Celebrity Reflection | Foto: divulgação

Depois tem as internas com janelinhas, que só diferem das internas simples por terem um pouco de luz natural (embora não dê pra abrir as janelas, já dá uma alegria e um alívio pros claustrofóbicos!).

Subindo o nível tem a cabine externa com varanda (com sacada, vista pro mar e tudo mais!) e ainda as grandes suítes ou master suítes, que podem acomodar famílias inteiras (ou não!), são ultraespaçosas e sensacionais!

A escolha da cabine, na minha opinião, tem mais a ver com o fator “quanto posso gastar”. Obviamente, quanto mais cara, mais ela tem a oferecer, principalmente em espaço interno e mimos para hóspedes.

Fique ligado: Ah, e pra quem quiser pagar ainda mais barato, quase todas as companhias oferecem desconto para uma terceira e/ou quarta pessoas na cabine! Dependendo da época da cotação, mesmo, pode até ser que nem cobrem por um quarto hóspede! Super em conta!

O itinerário

Uma coisa MUITO bacana em cruzeiros é a oportunidade de se conhecer vários lugares numa única viagem. Por outro lado, isso pode ser também meio negativo, se em uma das escalas você visitar uma cidade/ ilha um pouco maior – vai sempre dar aquela vontade de ficar mais, ou de voltar pra conhecer com mais calma. Porque realmente vai ser uma visita mais superficial.

DSC01299
O centrinho de Curaçao visto da varanda do Pullmantur Monarch | Foto: Susana Steil

Minha sugestão é que realmente você priorize cidades menores, ou ilhotas, sem passar muito por capitais e grandes centros. A menos que você já tenha ido a uma dessas cidades/ ilhas maiores em viagem anterior. Nesse quesito, os cruzeiros no Caribe são ideais, porque vão lhe dar a chance de pisar em vários países, que não carecem, exatamente, de muito tempo em terra firme para que se aproveite bem (trocando em miúdos, é tudo praia, basicamente). Na Europa, por exemplo, isso também pode acontecer (principalmente no Mediterrâneo e no Adriático), mas vai ser inevitável que você passe por algum grande centro (Barcelona, Roma, Atenas, Istambul… – e um único dia em qualquer dessas cidades é muito pouco!).

Mas tem roteiros pelo Brasil, pela América do Sul, pela Ásia, pelo Pacífico, pela Europa…tem cada cruzeiro, de matar o freguês de tanta água na boca! Acredito que o itinerário também vai muito do gosto do viajante, com base nessa de “qual lugar eu quero visitar agora?”. Acho que não existe região no mundo por onde não passe um cruzeiro…

Uma observação importante é que, quanto mais tempo o navio fica em navegação, sem descer em nenhum porto, mais você consegue aproveitar o próprio navio. No começo eu achava um saco isso de “ah, vai ficar 2 dias só navegando, que sem graça, quero conhecer mais lugares, e não ficar trancada sem poder descer!” mas, hoje em dia, acho providencial: é a chance de descansar mais, não fazer tudo correndo e ainda poder usufruir um pouco melhor de tudo que oferecem a bordo (e, vai por mim, é impossível sair de um cruzeiro tendo aproveitado TUDO! Você VAI QUERER mais tempo no navio!).

Na prática

A compra do cruzeiro

Se você está fazendo tudo por uma agência de viagem, ótimo! O seu trabalho será mínimo, só mesmo o de decidir qual navio e qual cabine, e depois o de fazer o pagamento.

Se está comprando sozinho, também não é lá muito difícil. Você pode fazer isso em sites como o Decolar.com (já comprei cruzeiro por ele, é bem seguro), Submarino Viagens, ou diretamente no site da companhia por qual você se interessou.

É o mesmo procedimento de uma compra de passagem aérea, por exemplo. Bem simples: você vai escolher a data, o número de passageiros e qual cabine. Depois o site calcula as taxas de serviço e portuárias, e pede a forma de pagamento. Só isso, realmente muito simples!

Antes de embarcar, porém (uma semana antes), você precisa preencher todos os seus dados no site da companhia. É uma espécie de check-in online. Esse procedimento é OBRIGATÓRIO, não apenas pra organizar melhor o embarque, como para fins imigratórios (especialmente quando o navio passa por mais de um país). Depois de preencher tudo, você deve imprimir o documento que a companhia vai lhe enviar por email (que é, na verdade, um voucher), já com o número da sua cabine, sua identificação interna e outros códigos. E deixar separado pra levar no dia do seu embarque!

O check-in

Eu ficava pensando no tumulto de um embarque em navio: se num aeroporto o caos está sempre instalado, como deveria ser pra 3, 4 mil pessoas fazendo check-in juntas?

Cruzeiros_checkin
Viu como são tranquilas as áreas de check-in nos portos? | Foto: Divulgação

Pois, pasme, é muito mais tranquilo do que você imagina! Esse documento que você já teve que deixar separado uma semana antes é que vai dividir os grupos de embarque. Quando seu grupo for chamado, você entrega o voucher e o seu passaporte, e eles vão te entregar um cartão de identificação do navio (semelhante a um cartão de crédito ou de banco), que vai ser o seu faz-tudo durante a sua viagem: sua identidade interna, seu “dinheiro”, seu vale-comida, sua chave de cabine…

Ah, e as malas? Assim que você chega no porto, eles já separam suas malas, você dá um adeus pra cada uma delas. Primeira coisa que acontece! Sempre achei ideal isso, porque ninguém precisa ficar carregando tralha pra baixo e pra cima, realmente não é como aeroporto! No fim do dia (geralmente fim da tarde), suas malas estarão milagrosamente organizadas na porta da sua cabine, que nem mágica!

Dica: justamente porque suas malas são tiradas de você assim que você pisa no porto e só serão vistas novamente mais pro fim do dia, que é bom ter uma sacola ou bolsa maior (tipo essas de praia) com roupa de banho (pra quem já quiser ficar pelas piscinas), itens como protetor solar e óculos, um chinelo, e até mesmo uma peça de roupa mais leve! Ah, e não se esqueça de fazer o embarque com uma roupa bem confortável, porque é com ela que você passar boa parte do seu primeiro dia a bordo!

O sistema All-inclusive

Outra coisa que me dava até arrepio só de pensar! Sempre tinha na cabeça que, justamente por oferecerem um sistema all-inclusive de buffet pra muitas pessoas, a comida nunca ia ser das melhores. Achava que era algo meio “enganação”.

Mas não é não, viu?

Claro, senti diferença na qualidade do cardápio de uma companhia pra outra mas, no geral, come-se MARAVILHOSAMENTE BEM dentro de um cruzeiro!

O café da manhã é sempre servido no restaurante buffet e oferece de tudo o que você puder imaginar e em quantidades pra lá de generosas. Tem frutas, panquecas e waffles, iogurtes, bolos, tortas, salgados e até saladas! Fora, é claro, cafés, chás, sucos e refrigerantes.

Cruzeiros_bebidas
É possível comprar pacotes com vários tipos de bebidas nos principais cruzeiros disponíveis no mercado. | Foto: divulgação

O almoço também é servido no mesmo buffet e com cardápio variado de cozinha internacional: saladas, massas, comida americana, árabe, japonesa, mexicana…

Para o jantar, você tem a opção de comer novamente no buffet (comida semelhante a do almoço), ou de se dirigir ao restaurante especial no seu horário de janta. Existem dois turnos de jantar, geralmente um perto das 19h e outro perto das 21h. Você deve escolher um dos horários já quando faz o check-in (são lugares pré-fixados, e vão permanecer o mesmo durante toda a sua viagem) e não pode, de jeito nenhum, ocupar sua mesa no outro horário! Isso porque o cardápio é todo à la carte (as comidas são feitas pelo chef lá na hora) e o serviço é à francesa – então tem essa organização pra facilitar o trabalho deles e garantir que você não pegue fila ou seja atendido com atraso.

Anote aí: uma coisa que poucas pessoas sabem (porque nunca divulgaram muito, pelo menos não nos cruzeiros que eu fiz), é que o café da manhã você também pode ter nesse restaurante especial. Igualmente, funciona à la carte e com o mesmo serviço do jantar (à francesa). A diferença? A possibilidade de comer torradas feitas na hora, omeletes feitas também na hora, brioches, croissants, panquecas, waffles…tudo pode sair do seu jeito, do modo que você mais gostar! Como demora um pouco mais, pode não ser uma boa nos dias em que o navio atraca em algum porto (afinal de contas, você vai querer sair do navio o quanto antes pra passear!). Mas pros dias de navegação, vale muito experimentar!

No meio da tarde, no fim da noite e durante parte da madrugada, geralmente servem lanches e petiscos (como hambúrgueres, batata frita, sorvetes e pizzas) nos bares espalhados pelo navio. A ideia é só ter um aperitivo pra ninguém passar fome, mesmo. O fato é que em qualquer hora do dia ou da noite vai ter comida! E BASTANTE comida!

Sobre as bebidas, o que eu posso dizer é que cada companhia tem uma sistemática. Já fiz um cruzeiro com a Pullmantur em que até as bebidas alcóolicas estavam incluídas no valor do pacote. O mais comum, no entanto, é nesse “all-inclusive” ter água, café de máquina (que nunca é bom) e chás. E só isso.

E quem quer beber outra coisa (no caso de navios que não incluem bebidas), como que faz? Também no momento do check-in você escolhe qual pacote de bebidas que vai comprar. Tem várias opções, como: “bebidas não alcóolicas”, que incluem sucos, refrigerantes e cafés especiais (como cappuccino ou espresso); “bebidas não alcóolicas premium”, com coquetéis e drinks sem álcool mais elaborados; “cerveja”, com todos os anteriores, mais cerveja à vontade; “cerveja premium”, com rótulos especiais à vontade”; “vinho”, pra quem quer incluir vinho no open bar, e por aí vai…Cada pacote custa “X dólares por dia” e, obviamente, vai aumentando de valor conforme o tipo de bebida que se quer consumir. Mas, no geral, esses pacotes não são o olho da cara, não, e compensam bastante! Sai mais barato até do que comprar fora do navio! E quem não tiver a fim MESMO de comprar um desses, pode pagar separado só o que consumir (não acho que valha a pena, masssss…é uma opção!).

O entretenimento a bordo

Aí é que está a parte boa! Via de regra você terá muito, MAS MUITO para fazer dentro do seu navio! Tem piscinas, sauna, academia, spa, bares, discoteca, teatros, shopping, cassino…esses são os itens básicos, que têm em todos. Alguns oferecem parafernálias extras, do tipo cinema (como o Royal Princess, da Princess Cruises), percurso de arvorismo e parque aquático (como o Norwegian Breakaway, da Norwegian Cruise Line), Art Studio – onde é possível ter aulas de culinárias, pinturas e trabalhos manuais (como o Celebrity Reflection, da Celebrity Cruises) e até paraquedismo (como o Quantum of the Seas, da Royal Caribbean).

Europa 2011 480
A Área da piscina, geralmente muito disputada nos dias de navegação. | Foto: Susana Steil

A grande maioria dos itens oferecidos já está incluída no valor total do cruzeiro. Você só vai precisar pagar por coisas muito específicas, como aulas particulares, serviços de spa e de salão de beleza…Alguns navios também disponibilizam restaurantes à la carte, geralmente de gastronomia mais requintada, e esses também são cobrados à parte (até vale conhecer, mas se não quiser gastar, já ficará satisfeito com os outros do pacote).

E rola muita bagunça, muita coisa de “povão”?

Dependendo do navio, até rola…essa coisa de dança na beira da piscina, criançada correndo, gincana, competição disso e daquilo, até tem bastante em algumas companhias. Eu tinha minhas restrições, mas acabei achando divertidíssimo! Só que se você detesta esse tipo de programação, nem precisa ficar estressado, porque dá pra escolher um cantinho mais sossegado do navio e pronto! Algumas cias oferecem espaços vips e áreas de acesso exclusivo a adultos (bem pra descanso, mesmo). E mesmo as que não disponibilizam esse tipo de serviço têm lounges, solários ou até áreas da piscina onde não tem tanta muvuca e tanto corre-corre. Dá pra dormir, ler um livro, acessar a internet e ficar quietinho numa boa! Os navios são tão enormes, não vai faltar lugar pra você se esconder!

As paradas e as excursões

Nos dias em que está programado de o navio atracar em algum porto/ cidade, quase todo mundo desce, justamente pra conhecer esse lugar. Já fica avisado o horário permitido pra desembarque, e eles costumam ser bem pontuais.

A saída nesses dias também era outra coisa que me preocupava (muita gente entrando e saindo junto) mas, na prática, ocorre sem nenhum tipo de transtorno. Pra sair é bem simples, é só passar o cartão de identificação num leitor. Geralmente sem filas.

Europa 2011 415
Meu passeio em Santorini, uma das escalas das rotas de navios pela Grécia. | Foto: Susana Steil

A volta, dependendo do local onde se para, que é um pouco mais chatinha (porque todo mundo quer ficar de fora até quando der!). Também é necessário passar por um raio-X, como num aeroporto, e fazer o mesmo procedimento de leitura do cartão de identificação. Mas, ainda quando tem uma filinha pra retorno no navio, não é nada muito caótico, não!

Para todos os lugares, o próprio navio (companhia) oferece uma série de excursões e passeios. Alguns têm valor acessível, outros já são bem salgadinhos. A vantagem de comprar passeio direto do navio? Bom…além de comodidade, tem o fator segurança – mesmo se der qualquer problema e um grupo de excursão do próprio navio atrasar, a cia é obrigada a esperar por esse grupo, coisa que não acontece quando se está passeando de forma independente (se perder o horário da volta, dançou e vai ficar pra trás MESMO!). Se eu aconselho a comprar? Depende do local da parada e também muito do seu perfil e nível de viajante…tem pessoas que não falam nenhum outro idioma e são péssimas com localização, sempre ficam perdidas. Daí não tem jeito! Tem também quem prefere passeios guiados, quem gosta de andar em grupos…pra essas pessoas eu mais que indico as excursões do navio.

Para os que se viram melhor sozinhos, ou que querem economizar, dá pra fazer tudo de forma independente. Em quase todos os portos/paradas, há MUITA gente do lado de fora vendendo TODO O TIPO de passeio possível! É escolher um, e aproveitar! Só aconselho seriamente duas coisas: uma, é o cuidado com a compra desse passeio “por fora” (porque já entrei em roubada com gente pilantra) – procure comprar de pessoas uniformizadas, que estão representando alguma empresa de turismo e tal; e a outra, é realmente a questão do horário – quem tá por conta deve ter atenção REDOBRADA no horário da volta, pra não correr o risco de realmente ficar pra trás (eles não dão tempo de tolerância pra atrasos, e existem muitos relatos de gente que não conseguiu voltar a tempo! Fique de olho!)!

Aquela ajuda básica: antes de fazer meu primeiro passeio num navio, achei o site Cruise Critic, que é o que eu uso sempre que quero saber qualquer coisa sobre cruzeiros. Além de resenhas e notas dos navios por viajantes (tipo um Trip Advisor, só que apenas de cruzeiros), tem relatos MUITO DETALHADOS sobre o que fazer nas suas paradas. A maioria das pessoas que colabora pra esse site é viciada em cruzeiros, já fez dezenas deles, e comenta tudo: que passeio é legal, que transporte usar quando você desce do navio, o preço das coisas, as distâncias, o que vale a pena fazer e o que não vale. O site está todo em inglês mas, se você é péssimo com o idioma e não entende bulhufas, pode pedir aquela ajuda pro tio Google tradutor!

As compras e afins

Como eu já comentei, algumas coisas você paga separado. É o caso, obviamente, de comprinhas nas lojas (que têm preço de free shop; sempre há produtos que valem a pena!). Fora isso, você pode se interessar por uma massagem no spa, algum pacote de internet, pacote de bebidas, fotografias, excursões etc. Sempre que for comprar algo, você vai precisar do seu cartão de identificação faz-tudo. Suas aquisições serão creditadas nesse cartão e, na véspera do desembarque, você vai dar baixa de tudo o que consumiu, daí sim, no seu cartão de crédito normal.

O desembarque

Quase tão simples como o embarque! Como acabei de citar, na véspera eles pedem o fechamento das cabines (pagamento e acerto de contas do que foi consumido à parte). É também na véspera que você vai deixar suas malas na porta da sua cabine, bem do jeito que elas estavam quando você pisou ali pela primeira vez.

Cruzeiros_1
Realmente é bem triste ver o navio de longe, sabendo que o cruzeiro acabou… | Foto: site Costa Cruzeiros

No dia da saída, todos também serão separados em grupos, e vai descendo cada grupo por vez. É um pouco mais demorado que na entrada, mas, pelo menos nos cruzeiros que fiz, não teve nada de bagunça e tumulto! Você vai passar por um raio-x, pegar suas malas e pronto!

Dá uma tristeza quando a gente deixa o navio…só passando por isso pra saber…

O essencial/ conclusões

Só mesmo depois da minha primeira experiência com navios que me despi de todos os preconceitos que tinha, e que eram muitos.

É incrível como tudo funciona de forma organizada, realmente a logística de um navio – com horários, passeios, atividades, comidas, com tudo! – é de impressionar!

Mesmo quando os navios estão com capacidade máxima, não se vê tumulto, ninguém se sente apertado…Bagunça, então, só quando ela é provocada, propositalmente, com brincadeiras e coisas do gênero.

Outra coisa muito interessante sobre cruzeiros é que eles são ecléticos demais, capazes de agradar a qualquer perfil de viajante! Acho impossível não arrumar uma atividade que seja do gosto do freguês…

Mas o melhor de tudo: o preço que se paga por tanta praticidade e diversão! É MUITO em conta! Sem dúvida, se você fizer por terra o que pensa em fazer via cruzeiro, vai pagar muito mais!

Ah, esqueci de comentar o essencial: enjoa? Dá tontura? Náuseas! Nada disso! Para os marinheiros de primeira viagem, dá uma certa aflição no primeiro e segundo dias, a gente fica com medo de ficar perto de vidros, nas sacadas e tal, anda se apoiando em tudo que vê pela frente. E, claro, sente uma leve mareada…Mas rapidinho a gente se acostuma com o balanço do navio! Eu, que sou a pessoa mais de ficar tonta em qualquer viagem, EXTREMAMENT SENSÍVEL, não senti absolutamente nada em nenhuma das minhas experiências a bordo de um cruzeiro!

Se é perigoso? Algum outro comentário específico? Bom…estou respondendo a perguntas mais frequentes nesse meu outro post, assim você embarca sabendo de tudo tim-tim por tim-tim (e a parte bacana é que, mesmo eu tendo contado tudo, você vai se maravilhar como se nunca tivesse sido informado a respeito!).

Por fim só digo uma coisa: um cruzeiro é algo que você realmente deve experimentar pelo menos uma vez na vida! Talvez, então, vai entender os “cruising maniacs”. Ou mesmo virar um deles!

Talvez também se interesse por:

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

33 thoughts on “Cruzeiros: vale a pena embarcar?

  • Marina

    Adorei seu post!
    Fiz meu primeiro cruzeiro esse ano, pela Disney e simplesmente amei!
    Sobre a Decolar.com, tenho uma dúvida… Fazendo a reserva por lá, vc consegue acessar sua reserva pelo site da companhia do cruzeiro? Eu estou planejando um para o ano que vem e pelo decolar está muito mais em conta.. mas vou querer agendar umas excursões e transfer do aeroporto pro hotel..

    Obrigada!! :)

  • Larissa

    Oi Susana!
    Se tudo que li sobre cruzeiros, o seu posto foi um. Dos mais completos! Parabéns!
    Ainda tenho algumas dúvidas, se conseguir responde-las ficaria grata!!
    – Quando um navio para em um porto, podemos descer e retornar para almoçar e depois descer novamente?
    – Esses pacotes de bebidas, posso comprar para uma pessoa e somente no dia que quiser ou se fechei uma vez tenho que pegar todos dias?
    – as gorjetas, posso pagar somente aquele pacote fechado no final do cruzeiro?
    – cruzeiros longos de 25 dias valem a pena ou enjoa?
    Se me ajudar com estas dúvidas, agradeço muito!
    Bjsss

    • susanasteil Autor

      Que bacana, Larissa! Fico feliz que tenha ajudado…
      Vamos às respostas:
      1. Quando um navio atraca é possível descer dele e retornar quantas vezes se quiser (dentro do horário permitido, é claro). Assim como nem descer também é permitido – as pessoas não são obrigadas a deixar o navio; sai quem quer!
      2. O pacote de bebidas varia conforma e empresa…algumas não têm pacotes (e creditam cada bebida consumida no cartão do passageiro) e outras poucas já incluem tudo no preço do cruzeiro. Quando tem pacotes, não é possível comprar algum dia específico, não! Se o seu cruzeiro for de 7 dias, eles inserir 7x o seu pacote diario escolhido. E não rola essa de um da família compra e os outros consomem, não…Eles são BEM atentos pra essa coisa de consumo dentro do navio, e se verificam que quem pegou a bebida não tinha o pacote, automaticamente eles creditam no cartão de quem a retirou…Pra tudo eles veem esse cartão que, no sistema deles, tem foto e identificação…Se o seu cruzeiro tiver pacote de bebidas, compra, que vale a pena!
      3. Sim, pode pagar as gorjetas com esse pacote do final, se ele for oferecido pela sua empresa.
      4. Se for o seu primeiro cruzeiro, não recomendo. É MUITO legal viajar de navio, mas pra uma primeira experiência eu sugiro um de 8 dias ou menos. Porque pra cada pessoa é uma experiência diferente – tem gente que não curte tanto, que acha que perde a graça depois de alguns dias, que se incomoda com tanta gente junto e que enjoa bastante. Faz o primeiro! – se você curtir, daí parte pra um outro de maior duração. Minha sugestão, pelo menos.
      Era isso! Qualquer coisa, só voltar aqui!
      Beijos!

  • Ozias

    Li seus comentários, mas achei que está indo na contra mão dos comentários de pesquisas de turistas e tripulantes.
    Os turistas relataram, que a comida não é boa e qualidade duvidosa, a água também ruim, Água do mar dessalinizada.
    Os preços para europeu é bem mais em conta, que para os brasileiros.
    Segundo uma brasileira que trabalhou no Costa Pacífica, os brasileiros são descriminados e sofrem maus tratos. Eles são obrigados a terem pelo menos 30% de funcionários brasileiros para explorarem a nossa costa.
    Gostaria de sugerir uma pauta para valiar passageiros e tripulantes destes gigantes.
    Na realidade fico na dúvida, se devo;. ou não fazer uma viagem desta.
    Abs.

    • susanasteil Autor

      Oi, Ozias! Obrigada pelo comentário…
      Todos os comentários do meu blog são 100% pessoais, com base nas experiências que eu tive em viagens…Claro, tudo é sempre muito relativo – às vezes um único lugar pode causar uma ótima impressão em uma pessoa, e uma péssima em várias outras…
      Já fiz uma matéria sobre trabalho em cruzeiros (especialmente de músicos) num outro site em que escrevia como jornalista, e também já trabalhei, como imigrante, em hoteis e cassinos fora do Brasil…De fato, pra quem está trabalhando, a situação é COMPLETAMENTE outra…No caso de cruzeiros eu, pessoalmente falando, não acho que valha a pena, já que o ritmo de trabalho é realmente MUITO intenso. Muitos topam o trabalho pela possibilidade de juntar uma grana (já que alimentação, transporte e hospedagem são pagos pela cia, o dinheiro recebido é “limpo”…); outros vão atraídos pela ideia de poderem conhecer vários lugares, que talvez não teriam oportunidade de conhecer em outra ocasião…Desconheço caso de maus tratos, pra comentar a respeito…Mas é o que eu falo e acho: ninguém assina um contrato pra trabalhar em navio de forma obrigatória…vai quem quer!
      Já para turistas, eu não tive reclamações a respeito dos cruzeiros que fiz, nem conheço que tenha tido uma má experiência nesse tipo de viagem. Todos os meus amigos, conhecidos, familiares, leitores, só tiveram boas coisas a falar de cruzeiros! Como eu comentei, não tive experiência na Costa brasileira (meus itinerários, até agora, foram na América do Norte, Caribe e Europa), então não posso falar de navios por aqui. Mas, fora do Brasil…AMEI cada um dos cruzeiros que fiz!
      Claro que, quanto mais viagens fazemos, maiores são as comparações. A gente acaba gostando mais de uma companhia, que de outra; acha a comida de uma melhor que a da outra; vê que uma se destaca pelo atendimento, outra pelo entretenimento, e por aí vai… Mas comida ruim, graças a Deus eu não peguei. Nem atendimento ruim, nem discriminação…como eu falei, nada de negativo me aconteceu em viagem de cruzeiro.
      E valor pra europeu não é diferente, não! É tudo tabelado! O que a maioria das empresas faz é oferecer certas regalias pra passageiros frequentes, mas só (sejam eles brasileiros, europeus, americanos…). E, o óbvio: 300 euros pra um europeu não é muita coisa…pra gente, hoje em dia, é uma senhora grana!
      Pra finalizar, o que eu escrevi foi como PASSAGEIRA…e em mais de uma experiência (sem ser patrocinada, inclusive). Continuo indicando cruzeiros de olhos fechados, por tudo que falei – é, sim, um custo x benefício excelente.
      No seu caso, iria. Até porque não dá pra falar mal de uma coisa que a gente nunca provou, não é mesmo?
      Escolhe uma boa companhia, um itinerário que agrade, e vai…eu realmente acho MUITO DIFÍCIL não agradar. Pode não ser o seu estilo de viagem preferido, mas exatamente RUIM, tá longe de ser.
      Se precisar de ajuda na escolha de algum cruzeiro, só me contatar novamente!
      Boa sorte e boas viagens!

  • Luciana França

    Adorei seu post!
    Pretendo fazer meu primeiro cruzeiro e uma dúvida: quando o navio para em um porto, precisamos pagar algum translado? Ou entro e saio sem nenhum custo? Grata.

    • susanasteil Autor

      Que bom, Luciana! Fico feliz com isso!
      Só me desculpa a demora na reposta, mas não tenho recebido notificações de comentários, e estava em viagem :(
      Então…pra sair e entrar do navio você não paga nada, e dentro do horário em que ele fica atracado, pode sair e voltar quantas vezes quiser!
      Você só vai pagar se quiser fazer algum tour do próprio navio, ou um tour que geralmente eles vendem do lado de fora do porto.
      Mas paga só se quiser e achar que vale…
      Espero ter ajudado!
      Beijos!

  • Luiza

    Oi Susana!!! Parabens pela materia, adorei! Estou pensando em fazer um cruzeiro pelo Caribe (saindo de miami, panama ou cartagena) mas estou com dificuldades em descobrir quais empresas operan navios open bar (open mesmo! Bebidas alcoolicas e etc.). Fiz um cruzeiro da pullmantur no Brasil uns anos atras e achei otimo o sistema. Se vc pudesse me ajudar, queria alguma empresa nesse estilo ou talvez um pouco melhorzinha. Nada muito chique! Estou indo com amigas pra fazer festa, beber, pegar praia e fazer comprinhas!!

    • susanasteil Autor

      Oi, Luiza!
      Obrigada pelo comentário e pelos elogios, em primeiro lugar!
      Sobre os cruzeiros, o único que sei que faz esquema de tudo incluído mesmo (inclusive bebidas) é o da Pullmantur – até embarquei num desses 2 anos atrás. Massss, andaram me falando que até a Pullmantur andou cortando o open bar de bebidas, não sei se a informação procede…
      Mais baratinho, tenho os da MSC (mas que cobra pack de bebida separado), mas confesso que nunca fiz cruzeiro com essa cia…mas ruim, não deve ser!
      Já que vocês querem bons preços + diversão + entretenimento + praias + compras, sugiro os cruzeiros pras Bahamas partindo de Miami. Já fiz um com a Royal Caribbean e foi divertidíssimo! Tem que comprar o pacote de bebidas, mas o cruzeiro todo é tão baratinho, que compensa! Sem contar que ele atendeu às nossas necessidades (que eram parecidas com as de vocês, na ocasião) e ainda pudemos dar várias voltas e fazer comprinhas em miami depois!
      Minha sugestão é realmente essa!
      Espero ter ajudado!
      Se precisar de alguma outra coisa, só voltar!
      Beijos!

    • susanasteil Autor

      Que bacana!
      Pelo teu comentário fiquei sabendo, inclusive, que existe um navio com itinerário Brasil X EUA…desconhecia essa rota!
      Cruzeiros são realmente fantásticos!
      Sucesso com o blog e boas viagens!

    • susanasteil Autor

      Hahaha…é bem isso, Evandro! Quando a gente tá começando a não querer sair mais, acaba!
      Mas vai ser bem divertido!
      Também fiz um cruzeiro de 5 dias (ou 6 não lembro) pras Bahamas, saindo de Miami, e foi demais!
      Se tiver outra dúvida, pode perguntar!
      Boa viagem!

    • susanasteil Autor

      Oi,Maíra!
      Fiz um de 11 noites com o navio Celebrity Equinox.
      Aliás, de todos os cruzeiros que fiz até hoje, a Celebrity foi minha empresa preferida (pela qualidade, itinerário e instalações do navio).
      Se eu não me engano o itinerário foi alterado, em relação ao que eu fiz (alteraram alguns portos de escala – vi que tem um de 7 noites, mas que sai apenas da Grécia, e tem uns de 13 noites que incluem Malta e Croácia…e por aí vai), mas dá pra achar boas opções pela Europa e Mediterrâneo.
      Só conferir no site da própria empresa!
      Se precisar de alguma outra coisa, estou á disposição!

  • Milla

    Eu simplesmente amei o seu post. Enquanto eu estava lendo, sentia que era como ler uma mensagem/depoimento de uma amiga que foi viajar de cruzeiro. Sua explicação de TUDO foi tão clara e simples de entender (sem contar que você é muito humilde pra contar as coisas, diz o que é caro e o que não é, sem medo).
    Serio eu realmente amei ler tudo!
    Obrigada por compartilhar sua experiencia, foi incrível e estou pensando seriamente em fazer uma viagem de cruzeiro!

    Te desejo tudo de bom e muitas viagens maravilhosas!

    • susanasteil Autor

      Oi, Milla!!
      Que delícia ler esse teu comentário!
      Sério: o mais gratificante, depois que eu perco um tempinho escrevendo cada post, é ver que o que escrevi ajudou alguém ou incentivou alguma nova viagem…fico MUITO feliz, mesmo!
      Faz um cruzeiro, sim!! Demorou…haha! Pesquisando com antecedência, dá pra conseguir tarifas ótimas!! Tenho certeza de que vais adorar!
      E se precisar de ajuda, ou com o cruzeiro, ou até com um outro destino de viagem, só aparecer! Responderei com prazer!
      Tudo de melhor pra ti também!! E que venham viagens inesquecíveis pra nós!!!
      Beijo grande!

  • Kátia Guimarães

    Oi Susana, tudo bem?
    Nossa, adorei seu post! Eu e meu marido estamos pensamos em fazer um cruzeiro em janeiro e eu estava com várias dúvidas que foram bem esclarecidas por você! Muito completo seu relato! ADOREI! Muito obrigada! Um super beijo!

  • André HF

    Adorei seu Post!
    Ajudou a tirar muitas dúvidas, pois ano que vem pretendo fazer a minha primeira viagem de Cruzeiro! Estou super empolgado e lendo tudo possível que se refere a esse tipo de viagem para não pagar nenhum mico… hehehe! Obrigado!

    • susanasteil Autor

      Que bom, André! Fico feliz com o comentário!
      Se aparecer alguma outra dúvida, até mesmo sobre o/s destino/s que vai visitar, estou á disposição!
      Ah, também trabalho com roteiros personalizados pra alguns lugares…se interessar, só dar um toque!
      Obrigada e boas viagens!

  • Milene

    Olá Suzana, tudo bem?

    Estou pensando em realizar um cruzeiro pela Europa, e o roteiro escolhido seria Barcelona – Nápoles – Civitavecchia (Roma) – Livorno (Florença) – Nice (França) – Tolon – Barcelona.
    Você conhece essas cidades? Acha que daria para aproveitar apenas algumas horas em cada uma delas? Sei que Roma e Florença ficam há quase 2 horas do porto… :(
    Obrigada!!!

    • susanasteil Autor

      Oi, Milene! Tudo bem?
      Conheço praticamente todas essas cidades, sim…
      O que você vai poder fazer, depende bastante do tempo em que o navio vai ficar atracado nas cidades.
      Em Barcelona é bem tranquilo, já que o porto fica próximo à cidade – única coisa ruim é que é uma cidade cheia de coisas pra se ver e fazer, mas como será o ponto de partida e chegada, melhor! Sugiro que separe pelo menos umas 2 noites extras por lá, já que Barcelona é, de fato, uma das cidades mais fantásticas da Europa!
      Em Civitavecchia eu demorei 50 minutos do porto até a estação central de Roma; não é assim demorado, não! Roma também tem muuuita coisa pra ver, mas já vai dar pra visitar o Coliseu, o Fórum Romano, a parte central (Parthenosn etc) e o Vaticano – digamos que o principal de lá.
      Florença eu não fui com cruzeiro, fui de trem! Mas pesquisei por aqui e, de fato, o trem leva 2h de Livorno até lá. Eu não arriscaria ir de forma independente – sugiro que contrate , pra este caso, a excursão do próprio navio (indo por conta você corre o risco de se atrasar e perder o cruzeiro!). Caso não queira gastar tanto ou até prefira mesmo fazer o tour por conta, a outra sugestão é abortar Florença do roteiro e ir até somente Pisa, que fica apenas a 15 minutinhos de Livorno! Até acho uma pena, já que Florença (na minha opinião) é uma das cidades mais lindas da Itália, mas demorar tanto pra ir e pra voltar pode ser, além de cansativo, uma má ideia. Eu, no seu lugar, bem a contra gosto, deixaria Florença pra uma próxima visita à Itália.
      Nápoles também é tranquilo, porto próximo. Mas a cidade em si não é tão interessante, não! Sugiro que pegue um ferry e vá para Capri (tem roteiro AQUI do que fazer em 1 dia por lá). Capri é DEMAIS e faz valer mais a visita.
      Já as cidades do Sul da França eu não conheço ainda…mas meu amigo fez esse itinerário e disse que é a parte mais tranquila. Ele conseguiu visitar Nice, Cannes e Mônaco.
      Espero que tenha te ajudado!
      Se precisar de alguma outra coisa, só voltar!
      Um beijo e um excelente cruzeiro pra você!

  • Nice Gomes

    Simplesmente amei sua experiência compartilhada e quero dizer que motivou-me á encarar essa experiência. Confesso que sempre fui “preconceituosa” com cruzeiros. Mas irei permitir-me vivenciar . Volto depois para relatar. Parabéns pelo acervo.
    Mil beijos :)

    • susanasteil Autor

      Oi, Nice! Tudo bem com você?
      Já vou responder seus dois comentários num só…
      Embarca num navio, sim! Cruzeiros são muito legais! Eu também morria de preconceito, mas é difícil não gostar! Como eu comentei no post, pode não ser o seu tipo IDEAL de viagem, mas tá longe de ser uma experiência ruim…
      Também escrevi um outro post sobre cruzeiros, respondendo a perguntas frequentes, já deu uma olhada? Só clicar AQUI…
      E a melhor época pra pegar calor e dias lindos na (MARAVILHOSA) Grécia é de junho a agosto. Na verdade, até a primeira quinzena de setembro ainda faz calor. Em agosto é altíssima temporada na Europa e os preços tendem a subir (e as cidades/ ilhas ficam mais lotadas!). Mas eu fui em agosto e AMEI! É um lugar pra voltar muitas vezes!
      Fico feliz que minha experiência tenha te ajudado!
      Volta pra relatar a sua, sim! Ajuda muita gente, tem um bom fluxo de pessoas lendo o blog!
      De resto, espero que aproveite DEMAIS o seu cruzeiro!
      Beijo grande e boa viagem!

  • Nice Gomes

    Querida qual a melhor época para conhecer as Ilhas Gregas?
    Quando me refiro a melhor época , quero dizer que seja verão, tenha uma temperatura agradável.. etc :)

  • Josiane

    Oi Susana, parabéns pelo post, muito esclarecedor, eu amei, e amei mais ainda sua disposição em responder todos os comentários de forma tão detalhada e atenciosa (eu li todos rs), vou fazer meu primeiro cruzeiro agora, no Brasil, mas o que quero mesmo é fazer pela Europa, vi a rota Barcelona > Nápoles > Civitavecchia > Livorno > Nice > Sète > Barcelona, já estou ansiosa pesquisando tudo.
    Parabéns, mais uma vez.

    • susanasteil Autor

      Ai, que legal, Josiane!
      Fico bem animada com o feedback positivo – a intenção é a de realmente ajudar as pessoas a viajarem cada vez mais e melhor!
      Você já deve ter lido por aqui que eu AMO cruzeiros, né? Hehe…Acho, de fato, um ótimo investimento…pelo que a gente paga, tem de tudo, é muito prático!
      Por incrível que pareça ainda não fiz cruzeiros no Brasil, mas tá na minha listinha de “próximas viagens”. Imagino que deva ser o máximo!
      Na Europa é muito bacana! E dá a oportunidade de a gente conhecer várias coisas lindas por lá!
      Se precisar de mais alguma outra coisa, ou se tiver dúvida e eu puder ajudar, só me contatar novamente! Também trabalho com roteiros personalizados e auxilio na montagem da viagem/pacote…Se precisar pra Caribe/ Europa (o seu próximo cruzeiro), ou mesmo pra algum destino nacional, igualmente – só me contatar para mais informações! Será um prazer ajudá-la!
      Beijo e um ótimo cruzeiro pra você!