Minhas escolhas de Bogotá (e outras informações úteis) 6


Como chegar na cidade, o que ver, o que fazer, o que é importante saber antes de ir pra lá?

Algumas dessas coisas são bem pessoais, mas sempre vale o compartilhamento de informações. Lembrando que praticamente todas as respostas são as minhas escolhas e preferências na cidade. Eu fiz e curti muito, espero que seja assim com você também!

1. Como sair do aeroporto e ir em direção aos bairros? Não hesite, nem fique com pão-durice: táxi é a melhor forma de ir até o centro ou outro bairro de Bogotá. Eles são baratos (uma corrida até o centro histórico vai ficar por volta de uns COP 20.000, não muito mais que uns R$20, R$22). Procure, no entanto, os táxis credenciados (vai ser fácil encontrar uma placa do lado de fora do aeroporto indicando, e existe um funcionário só pra organizar isso) – eles todos tem taxímetro e preço tabelado.


2. Qual melhor lugar pra se hospedar?
São duas as regiões mais procuradas: a Candelaria e a Zona Norte.

A primeira é bem mais barata (não só de hospedagem, tudo é mais barato por lá), com hoteis mais simples (3 estrelas), albergues, pousadas e B&Bs. É super central (não exige grandes deslocamentos), mas não é aconselhável perambular pelas ruas depois das 20h. Eu fiquei ali. Escolha a Candelaria se a sua prioridade é economizar e aproveitar museus e passeios culturais.

A segunda, entre as calles 75 e 95 (com a carreras 11 e 15) é mais badalada. Mais cara, por consequência. Vários bares, restaurantes e lojas nas proximidades. Escolha a Zona Norte se a sua prioridade for compras e vida noturna.

3. Como troco meu dinheiro? O que vale mais a pena levar? O dólar compensa mais, porque eles pagam melhor que o real (em proporção). No centro da cidade (centrão, mesmo) há várias casas de câmbio, bem próximas umas das outras. Também achei a cotação do aeroporto bem boa (geralmente sai bem mais caro trocar dinheiro em aeroporto). Então, se quiser se sentir seguro, já troca a maior parte no aeroporto.

Em sentido horário: Transmilenio, ciclorutas, táxis e busetas

4. Qual o melhor meio de transporte dentro da cidade? Táxi, para maiores distâncias (e são bem baratos, do centro à zona norte eu pagava COP15.000, pouco mais que R$15, e a distância era grande!); Transmilenio (que é um ônibus metido a metrô, super limpinho e barato) se for pra pontos bem turísticos (já que a rede não alcança a cidade toda, só alguns pontos mais importantes) – porém esqueça a ideia de economizar de Transmilenio nos horarios de pico, porque não compensa (a tarifa sobe um pouquinho, de COP 1.400 pra COP1.700, o trânsito é sofrível, e é como busão lotado no Brasil!); Bicicleta, se for pra aproveitar o passeio com a maior folga e o tempo tiver sobrando, já que Bogotá dispõe de uma das maiores ciclovias do mundo (340 km espalhados por toda a cidade!)!; Ônibus comum, também chamado de microbus ou busetas (que é bem pequeno, a metade do tamanho dos nossos), só se você for louco!

5. Qual o melhor passeio diurno? O Cerro Monserrate. Trata-se do ponto mais alto de Bogotá (3.152 metros cima do nível do mar – e acreditem em mim: falta bastante ar lá de cima, respiração fraquejou!), com uma igreja, mirante e alguns restaurantes. A subida é feita com funicular (para ida e volta diurna, COP 15.800; para ida e volta noturna, COP 17.500 para adulto de segunda a sábado. Atenção que aos domingos fica quase a metade do preço! Veja todas as informações neste site), e a vista vale realmente a pena! Pela manhã (final dela, de preferência) é quando é possível ver melhor a cidade, sem tanta neblina ou nevoeiro.

Vista do alto do Cerro Monserrate

6. O que fazer à tarde? Caminhar pelas ruas da Candelaria, que é a parte histórica da cidade. Aproveite as casas de cultura e museus da região, e a famosa Plaza de Bolívar, cartão postal principal de Bogotá.

Catedral de Bogotá

7. Qual o melhor programa para um fim de tarde? Os bons cafés/bares e lojas da região do Parque de la 93 (calle 93 entre as carreras 11 e 13). De fato, a área toda é uma graça e bem aconchegante!

8. O que fazer à noite em Bogotá? Zona T e Zona Rosa (uma fica dentro da outra, entre as calles 79 e 85, e carreras 11 e 15). MUITOS pubs, bares, restaurantes, baladinhas, shoppings e lojas bacanas (de Converse a Dolce&Gabbana!). Por ali ficam os famosos Hard Rock Cafe de Bogotá e o Andrés Carne de Res da capital.

Uma das peças centenárias do Museo del Oro

9. Qual o museu mais bacana? Obviamente não pude ir em todos, pois são realmente muitos. A escolha é difícil, mas ainda fico com o Museu do Ouro (Museo del Oro). É o maior acervo de ouro do mundo da civilização pré-hispânica, conta muito da história da colonização da Colômbia, é quase de graça (COP 3.000), numa instalação moderna e central, e num predio ultra bem conservado. Vale a pena!

10. Não devo voltar sem provar… O famoso tamal com chocolate de um dos restaurantes mais antigos e tradicionais de Bogotá, o La Puerta Falsa; as deliciosas arepas (semelhante a um pão, porém feito com farinha de milho, e recheado com diversos ingredientes, como frango, carne, queijo etc.) espalhadas em restaurantes e botecos nos quatro cantos da cidade; o saboroso café do Juan Valdez (que é a maior rede de café da Colômbia…eles se gabam de ser até melhor que o americano Starbucks…eu, como viciada em café assumida, pude crer que vale a fama, mesmo!); um crepe, waffle belga ou milk shake do Crepes & Waffles – que dão prazer de tão deliciosos; Ajiaco, patacón, sancocho, empanada ou qualquer outro prato típico colombiano…

1. Arepa com queijo 2. Tamal com chocolate 3.Empanadas 4.Delicias do Crepes & Waffles 5. Cafés do Juan Valdez 6. Sancocho 7. Patacón colombiano

11. O que vale a pena comprar lá? Pra quem é fã de artesanato, em Bogotá as peças são super originais e de um colorido único – vale a pena trazer alguma coisa, nem que seja apenas como souvenir; Como o país é famoso pela extração da esmeralda, a jóia por lá tem um preço menos impossível (mas ainda é caro, pra quem tem dinheiro sobrando, mesmo); Livros, muitos livros – que são baratos, principalmente os de arte; Alguma miniatura das obras do Botero, que são de uma graça irresistível.

Artesanato colombiano

12. Melhor local pra bater fotos: Sem dúvida: La Candelaria. Cada rua, beco, porta, fachada, ajuda na criatividade dos cliques!

“Bailarina na barra” quadro de Botero

12. O que só vi por lá (e praticamente em mais nenhum lugar)? Muitas igrejas por km2; os graffitis e street art mais lindos do mundo, espalhados nas ruas; dois mirantes para se apreciar a cidade (Cerro Monserrate de Mirante la Calera); uma grande oferta de aulas de dança, para se curtir a noite (salsa, rumba, cumbia etc.); táxis minúsculos, os menores que já vi até hoje; roupas coloridas demais; gordinhas e gordinhos super simpáticos como atração turística (as famosas obras de Fernando Botero).

Parque Metropolitano Símon Bolívar

13. Quais outros passeios são imperdíveis? Além de todos já citados neste post (Candelaria, Plaza de Bolívar, Mirante La Calera, Cerro Monserrate, Zona T, Zona Rosa, Parque de la 93, Museus), vale uma visita ao Parque Símon Bolívar, a maior área verde da cidade de Bogotá (e só por ser até maior e mais extenso que o Central Park, de Nova Iorque, compensa conferir) – o lugar é ideal para relaxar, caminhar, fazer um exercício, e até mesmo um piquenique; E, distante 49 km da cidade de Bogotá, está a Catedral de Sal de Zipaquirá, construída no interior das minas de sal da cidade de mesmo nome, considerada a Primeira Maravilha da Colômbia, dado o seu valor religioso, turístico, cultura  e, inclusive, arqueológico.

14. O que não gostei na cidade? O que me incomodou bastante foi o trânsito. Não exatamente pelo excesso de carros e tal, mas porque eles dirigem muito rápido, insanamente, é uma loucura! E pedestre não tem vez em Bogotá, não! Então, se for atravessar a rua, pare e olhe duas vezes – eles não dão a vez pra quem está passando, ainda que na faixa de pedestre!

15. O que me faria voltar algum dia pra lá? A grande atividade cultural da cidade, a simpatia das pessoas, os bons preços e o jeito de “grande cidade pequena” que, eu pelo menos, achei que Bogotá tem…

Fotos: TripAdvisor, Wikipedia e arquivo pessoal

Talvez também se interesse por:

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

6 thoughts on “Minhas escolhas de Bogotá (e outras informações úteis)

    • susanasteil Autor

      Oi, Julia!
      Não sei por qual motivo, mas não vieram mais as notificações dos comentários no meu site…
      E nos últimos dias estava viajando, então escrevo bem atrasada, mil perdões!
      Mas espero que ainda ajude!
      Em Bogotá, existem 3 regiões que indico pra hospedagem:
      1. Candelaria, que é o centro histórico, onde ficam mais hoteis baratos (tipo hostel, pousadas e B&Bs) e boutique (em casarios históricos). Vale ficar ali se o seu tempo em Bogotá for muito curto e seus passeios se concentrarem mais na região central.
      2. Região do Parque de la 93, repleta de restaurantes e lojas. Por ali ficam hoteis melhores e mais caros, é uma região bem boa pra se hospedar também!
      3. Zona Rosa, que é a mais badalada, próxima a shoppings, bares, restaurantes, baladas. Fique ali se você optar por agito!
      Nas 3, no entanto, o deslocamento para outros pontos da cidade é bem fácil e tranquilo, podendo ser feito por táxis, ônibus ou metrô.
      Em Bogotá eu já me hospedei em 3 hotéis, os 3 bem diferentes em termos de orçamento: fiquei no Hostal Sue Candelaria (um albergue na região histórica – super barato, beeeeem simples, fazendo mais estilo de hostel, mesmo. Mas super limpinho e bem localizado); fiquei num quarto privativo do Masaya Hotel (também na Candelaria – ele funciona como hotel e albergue; a suíte privativa dele é excelente, melhor que muito hotel comum em que já me hospedei…e o preço dele é incrível! Recomendo muitíssimo!); e também fiquei no NH Royal la Boheme, na Zona Rosa (escolhi pelo NH por já ter ficado em outros hoteis da rede e ter aprovado a experiência! Esse é bem bom, com localização excelente, confortável, bom atendimento e ótimo custo x benefício…mas sai mais caro que os da região central…).
      A vantagem de Bogotá é que os, nessas regiões que citei, as opções são várias, e mesmo os hotéis mais caros têm um preço BEM acessível. Vai depender mesmo do seu tempo e propósito de viagem, e do quanto vai querer gastar pela diária.
      Mas indico as 3 regiões (qualquer hotel próximo a esses que fiquei vai ser bem bom também)!
      Espero ter ajudado!
      Beijocas!!

    • susanasteil Autor

      Oi, Aline!
      Perdão pelo atraso, mas não tenho mais recebido notificações dos comentários…
      Acabei de responder a essa mesma pergunta no comentário acima desse teu, neste mesmo post.
      Espero te ajudar com a resposta!
      Qualquer outra coisa, só chamar por aqui!
      Beijos e ótima viagem!

  • aurea celia reis nogueira

    Quero comprar feira /barraca colorida de enfeite igual a ônibus, pois não encontro nenhum site.
    por favor. Entre em contado comigo e me fala o nome certo desse enfeite, pois fui lá e sem quer
    minha mãe doou para amiga e fiquei sem. Gostaria muito de tê-la.
    Aguardarei a resposta dessa mensagem e por favor não demore.;