Pedras 4


Acordou com uma dor nas costas, um peso enorme, um cansaço generalizado, que tinha a impressão de ter nadado 500 km ininterruptos, ou de que tinha acabado de escalar o Himalaia. Mas, não: o sedentarismo ainda mostrava seus sinais no braço flácido e no leve excesso de peso, só que a dor também não era por isso.

Sentiu a cabeça explodir, o sono não vinha nunca, nem a fome, mas o peso ainda estava lá, latejando e pedindo socorro.

- “é só esta semana, que estou com excesso de trabalho, depois alivia”, era o que dizia pro próprio peso.

Pensou então em colocar os quilos extras na mala e entrega-los a quem bem os quisesse, ou que estivesse precisando, aí sim resolveria o problema.

- “assim poderei dormir com tranquilidade”, pensava.

Bem que achou uns três ou quatro que se dispuseram a colaborar na balança, sempre tem uns bons samaritanos, mas…a quem queria enganar?

Mesmo dividida, a dor não sumia. E nem ia mesmo, tão cedo.

E disso tinha a mais plena certeza.

Sabia muito bem que as pedras nas costas não rolavam por acúmulo de serviço, nem por alimentação inadequada, nem por um mau jeito durante o sono, nem pela má postura em frente ao computador.

Sim, sabia.

Sabia muito bem que a dor nos ombros eram quilos e quilos do tempo, da muita responsabilidade que carregava, do alto grau de exigência a que se impunha, das verdades que deixou de falar, e dos segredos que nunca pode contar pra ninguém. Os pesos excedentes eram toneladas de saudade que não tinha com quem compartilhar, eram o medo de continuar crescendo, o risco de se arrepender, ou de cair no esquecimento.

No fundo sabia.

Sabia com muita propriedade que o que pesava eram os amores falidos, as vitórias frustradas, as frases controversas, tudo o que foi vazio e que voltou insuportável. Sabia que o corpo não falava, BERRAVA, que aquela dor aguda já tinha feito aniversário e só queria sinalizar que a cabeça precisava de mais tempo e, o coração, de muito mais cuidado.

Sabia de tudo isso, porque a verdade é que a gente sempre sabe.

Só não sabia o nome do remédio instantâneo, indolor, eficaz e sem contraindicação pra tomar e acordar feito pluma.

ALGUÉM SABE?

Talvez também se interesse por:

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

4 thoughts on “Pedras