Roteiro de 6 (ou de 4) dias em Paris – Parte 1 1


Já comentei por aqui as coisas que você não deve deixar de fazer na sua primeira visita a Paris (neste post) mas, agora, segue um roteiro específico de 6 dias (que também pode ser de 4 dias, se você cortar os dois últimos), com atividades detalhadas para cada um. Claro, sempre é apenas uma sugestão, mas acho que fica mais fácil pra se organizar na cidade – em lugares que têm tanto a oferecer, como é o caso de Paris – se não há um planejamento do passeio, muita coisa pode acabar ficando de fora…

Os mapas de cada passeio estão por aqui, também! Se facilitar, é só imprimir! E pra cada onto turístico, atração, coloquei do lado (entre parênteses) a linha e parada de metrô. Pra facilitar MESMO a vida de vocês na cidade…

Vamos lá!

Paris_abertura_edit

Primeiro de tudo: locomoção em Paris

A melhor forma de visitar a cidade é realmente gastando sola de sapato. Uma porque Paris é uma cidade lindíssima, com ruas, parques e construções que são, de fato, muito bonitos e merecem ser apreciados ao vivo e a cores (e quando se está de carro, táxi, ônibus ou metrô, boa parte dessa beleza passa desapercebida, ou fica em segundo plano). Outro motivo: é uma cidade fácil pra se localizar, de forma que já no segundo dia é possível entender, pelos menos um pouco, as direções das principais atrações turísticas da cidade. É simples, pois tudo fica as margens do Rio Sena, e ao se familiarizarem com o mapa de toda Paris vocês vão entender o que estou falando. E a Torre Eiffel, que pode ser vista a longas distâncias, serve de referência pra muitos outros pontos. Impossível se perder em Paris, portanto!

A cidade é dividida em algumas microrregiões, chamadas de arrondissements (como na figura abaixo). Nas placas das ruas e nos mapas, vocês identificarão essas regiões com o número delas, seguidas de “ème”. Assim: “7ème”, por exemplo.Paris_Arrondissements

Pra fins turísticos, esses arrondissements ajudam a organizar os pontos a serem visitados (eu “agrupei” meus passeios de acordo com essas regiões, ou mais ou menos de acordo com elas, nas vezes em que estive na cidade, e recomendo! – nada que eu queria visitar ficou pra trás).

Paris_metro
Plaquinhas como essa têm aos montes em Paris, e indicam uma estação de metrô

De uma região para outra, no entanto, sugiro que utilizem o metrô.

É o meio de transporte mais prático, rápido, barato e eficiente da cidade. E a cada 500 metros tem uma estação (vocês vão identificar facilmente: quando virem a plaquinha igual a da foto, ali tem um metrô!). Todo mundo pergunta se é seguro…nunca conheci ninguém que tivesse tido problema com metrô em Paris. Mesmo procurando em blogs e sites com dicas, nenhuma pessoa relatou nenhum caso de assalto, furto, nada disso! Podem ir que é seguro (por mais que possa parecer o contrário)!

Para economizar: nas estações, comprem um passe, que sai mais barato (tem os carnets, para dez viagens, e quando fui tinha passes pra 3 e para 7 dias – adquiram o que for melhor pra vocês!). No ato da compra, vocês já recebem o mapa do metrô, que é indispensável.

Quando fizerem passeios noturnos, ou decidirem voltar tarde da noite pro hotel, no entanto, aconselho a utilização de táxis. Praticamente passa um por segundo nas principais ruas, e eles tem um preço até acessível. Levem SEMPRE consigo um cartão com o endereço do hotel, caso não falem nada de francês.

Dia 1: Manhã – Passeio 1 | Tarde – Passeio 2 | Noite – Descanso 

1. Torre Eiffel + Champ de Mars + Palais de Chaillot + Place du Trocadero + Arc de Triomphe +Champs Elysèes

Acredito que a primeira coisa que todo mundo quer ver em Paris é a Torre Eiffel (metro Champ de Mars -Tour Eiffel / linha amarela). Aconselho duas visitas: uma diurna e uma noturna (ambas as vistas são excepcionais! Não sei dizer a mais bonita!). São 3 andares pra visitação. Sinceramente, não aconselho comprarem até o topo, que é o terceiro andar, a não ser que morram de curiosidade. A vista do segundo é bem melhor, já que não é “tão de cima”. O jardim que fica atrás da Torre é o famoso Champ de Mars (uma das maiores áreas verdes de Paris, construída em homenagem ao Deus Marte), e dali rendem fotos belíssimas com a Torre de fundo.

Acabado esse passeio, atravessem o Sena, a Avenida, então chegarão ao Palais de Chaillot (foto), uma antiga construção que abriga, hoje, algumas exposições itinerantes. A título de curiosidade, foi ali que a Assembléia Geral das Nações Unidas adotou a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Belas fotos com vista pra Torre também podem ser tiradas dali.

ThŽ‰tre National de Chaillot - J.Montalvo/D.Hervieu  - PdV "l'extŽrieur du ThŽ‰tre"
É no Pallais de Chaillot onde você pode bater belíssimas fotos com a Torre de fundo!

Logo atrás do Palais tem a Praça do Trocadero (Place du Trocadero). Peguem, em diagonal a Avenue Kleber, que vai acabar no próximo destino: o Arco do Triunfo!

O Arco fica no centro de uma rótula com oito pistas, nem pensem em atravessá-la! No começo da Champs Elysees tem uma escada subterrânea (na calçada) que vai levar ao topo do Arco. Mas eu, pelo menos, fiz essa “subida” num outro dia, que não este. De início, optei por caminhar os 2km da Champs Elysèes e apreciar as lojas, restaurantes, cafés (uma observação interessante: a Champs Elysèes merece retorno! Tirem mais de uma dia pra passarem por ela, já que oferece bastante opção de compra, comida etc. E de beleza, também!)

Da avenida, peguem o Metro Franklin Roosevelt ou, alguns metros a frente, o Metro Champs Elysees, e sigam ao próximo roteiro.

2. Notre Dame + Quartier Latin + St. Michel + St. Germain

Direções de metrô do ponto onde estavam (Champs-Elysèes até a Basílica de Notre-Dame):
Roosevelt ou Champs Elysèes – pegar linha AMARELA direção Chateau de Vincennes.
PARAR na estação Chatelêt.
TROCAR para linha ROXA direção P´Ort de Orleans.
PARAR na próxima estação: Cité.
De qualquer outro ponto da cidade, a linha de metrô é a ROXA, parada Cité ou St. Michel – Notre Dame.
Paris_Notre_Dame_de_Paris
Não deixe de visitar o interior da Catedral de Notre-Dame e, do lado de fora, observe cada detalhe de sua arquitetura

Por mais incrível que possa parecer, não é a Torre Eiffel o monumento mais visitado da França, e sim a Catedral de Notre-Dame. A construção é do século XII, toda em estilo gótico, para homenagear Maria, mãe de Jesus (daí o nome da catedral, inclusive). De fato, é uma obra arquitetônica única. No interior da igreja, observem atentamente os famosos vitrais – considerados peça de arte na época da construção da Basílica e mantidos até hoje em perfeito estado!

Quando acabarem a visita, saiam da Ille-de-la-cité e andam uns poucos metros, de acordo com o mapa.

Entre as Rue de Cité e a Boulevard Saint Michel está o famoso Quartier Latin.

Paris_Quartier Latin_Foto Moviespix ponto com
As ruas charmosas do Quartier Latin, uma das minhas regiões preferidas em Paris

Não tem placas indicando, até porque não é um prédio, ou monumento, mas sim uma região. São dezenas de vielas charmosas com vários restaurantes, artistas de rua – é uma das partes boêmias da cidade, localização predileta de antigos intelectuais, poetas e filósofos de Paris. Leva esse nome porque fica relativamente próximo a Universidade Sorbonne, e latin era o idioma mais usados pelos estudantes e professores que comumente frequentavam a região.

Dia 2: Manhã – Passeio 3 | Tarde – Passeio 4 | Noite – Passeio de barco no Rio Sena

3. Les Invalides + Musée D´Orsay + Assemblee Nationale + Boulevard St. Germain

 

 

Comecem o passeio pelo Invalides (linha AMARELA Invalides ou linha LILÁS École militaire) – Palácio dos Inválidos, em Português. É um imenso monumento ordenado por Luis XIV para abrigar os inválidos de seu exército. Hoje, também necrópole militar e sede do Museu das Armas. Napoleão Bonaparte está enterrado lá.

Em anexo, a capela dos Inválidos, uma igreja lindíssima com cúpula inteiramente banhada a ouro (aliás, tudo em Paris é banhado a ouro!).

Paris_Musee Dorsay_Foto Bonjour de france Ponto com
O Museu D´Orsay também conta com obras de grandes artistas mundiais e vale a visita!

Prossigam a pé (ou se preferirem, ou se cansarem, peguem metro) pela Quai D´Orsay, às margens do Sena. Ali encontrarão o Musèe D´Orsay (foto), museu que abriga obras de grandes pintores como Monet, Degas, Van Gogh. Só a arquitetura do prédio já compensa! Belíssima!

Ainda seguindo pela margem do Sena, verão o Palais Bourbon (em frente a Ponte Concorde), onde hoje é a sede da Assembléia Nacional francesa.

Paris_Pont_de_la_Concorde_Palais_Bourbon_Foto wikimedia
A Pont de la Cnncorde com o Palais Bourbon, hoje sede da Assembleia Nacional, ao fundo | Foto: Wikimedia

Continuem seguindo o mapa e entrem na Boulevard St. Germain. Esta é uma das principais e mais famosas avenidas de Paris, com vários cafés, restaurantes e lojas. Em sua parte leste (a direção que NÃO é a da Torre), depois do cruzamento com a Boulevard St. Michel, encontram-se diversas lojas de grife. Não custa entrar em alguma delas, caso queiram adquirir produtos de marca, pois sempre é possível achar uma promoção. As livrarias e sebos também são um atrativo (no meu caso, por exemplo, que sou fascinada por literatura). Vale a pena trazer um livro sobre artes, ou sobre Paris mesmo, que podem ser comprados a 10, 15 Euros, e que no Brasil custam uma fortuna!

4. St. Germain + St. Michel + Jardin du Louxemburg + Pantheon + Jardin des Plantes

 

Sigam o mapa! Continuem caminhando pela St. Germain em direção a leste, quando cruzarem a St. Michel rumem ao Sul e logo chegarão ao Jardin du Luxembourg,  a maior área verde pública de Paris (e, na minha opinião, a mais bela, também!). Tirem um tempo pra um merecido descanso – não faltam gazebos, bancos, mesas, espaços reservados pra relaxar! No Jardin du Luxembourg também fica o Palácio do Luxemburgo.

Paris_Jardin_du_Luxembourg_en_été
É ou não é divino esse Jardin Du Luxembourg? | Foto: Wikimedia

Próximo ao Jardim, na quadra de cima, fica o famoso Teatro Odéon (Metro ODEON), um dos 6 teatros nacionais da França.

Voltem para a dirção da St. Germain e entrem na Rue des Ecoles (se não m falha a memória, e esta rua, mesmo! Mas haverá placas indicando a direção para o Panthéon. Se não for esta, é a de cima!). O prédio que se avista no fim da rua é o Pantheón.

O Panthéon é uma antiga igreja, mas a fama do edifício, hoje, deve-se ao fato de ele ter virado um mausoléu, onde estão sepultados importantes personagens franceses como Voltaire, Marie Curie, Jean Paul Sartre, Monet, Descartes, Victor Hugo. O interior do prédio é belíssimo e tem uma visita guiada até a cúpula, com passagens pelos principais túmulos. Não posso dizer como é essa visita pelo interior do Panthéon, porque não a fiz em nenhuma das vezes em que estive em Paris, mas saibam que é uma opção.

Ao lado do Pantheon estão prédios famosos como o da Faculdade de Direito e do Congresso Nacional. Na Mesma quadra se encontram o Jardin des Plantes, outra área verde muito bonita de Paris.

A Street scene in the Rive Gauche, Boulevard St Germain, Paris
A Boulevard St Germain, além de ser uma das mais importantes, é das mais sofisticadas e variadas avenidas da cidade | Foto: Getty Images

Voltem o caminho, até a St. Michel e sigam pela St. Germain direção leste (direita). Esta, sim, que é a parte que comentei antes, com várias lojas de grife. Vocês também verão por ali uma pequenina igreja, a Eglise St. Germain-de-Près, a mais antiga da cidade.

Sugestão para a noite: passeio de barco pelo Rio Sena. Saídas nas margens do Rio, exatamente em frente a Torre Eiffel (Metro linha AMARELA – Champ de Mars – Tour Eiffel). O passeio dura, mais ou menos, uma hora (se não estou enganada!). Existe uma opção mais demorada, com jantar incluído. Tentem comprar tiquete de algum barco que tem guias (geralmente são gravações em audio) em português. Isso porque, durante o passeio, eles explicam boa parte da história da cidade, história das construções famosas – é interessante conhecer isso!

Continua neste post.

Talvez também se interesse por:

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

One thought on “Roteiro de 6 (ou de 4) dias em Paris – Parte 1