Um (super!) passeio pelas ruas da Candelaria…


A minha região (talvez) preferida de Bogotá é parada mais que obrigatória pra quem visita a cidade pela primeira, ou pela enésima vez. A Candelaria tem um ar diferenciado e uma História que se confunde com a própria fundação da cidade (em 1538), admira pelo charme de suas ruas e pelo ótimo estado em que se encontra. Boa parte de suas construções – casarões coloniais, igrejas seculares e pequenos prédios do início do período republicano – são tidos como Patrimônio Histórico e conservam boa parte da estrutura original (e são lindos de morrer, diga-se de passagem!).

Toda a antiguidade que ela transcende, porém, contrasta com uma atmosfera jovial e vibrante: pelas ruas da Candelaria há mais de uma dezena de universidades , além da maior concentração de albergues e hostels da cidade (consequentemente, atraindo jovens do mundo todo), e muita, MUITA arte. Há, entre suas calles e carreras, mais de 500 (sim, 500!) Instituições Culturais, centros artísticos, museus, teatros, oficinas e bibliotecas.

Isso quer dizer que boa parte dos atrativos da própria Bogotá está por ali, a poucos metros de distância um do outro! Minha sugestão é separar um dia inteiro (ou mais de um, se você tiver tempo sobrando e for tão fã de museus e fotografia como eu!) e se aventurar pelas vielas da Candelaria. Eu criei meu próprio roteiro de passeio, que pode tranquilamente ser feito a pé, e destaco aqui os principais pontos de interesse:

(E quem quiser acessar o mapa com detalhes, basta clicar neste link).

Plaza Chorro de Quevedo – Nosso passeio começa por aqui, nesta charmosa pracinha (bem pequena mesmo!). Ao seu redor estão casas datadas do início do séc XX e a primeira igreja de Bogotá, a Capilla del Humilladero. Hoje, o espaço conta com alguns cafés e restaurantes, além de graffitis e pinturas sensacionais nos muros e fachadas dos casebres.

Esta parede linda está na Plaza Chorro de Quevedo!

Iglesia de La Candelaria – A Igreja Católica da Nossa Senhora da Candelária, ou simplesmente Igreja da Candelária, foi construída no final do séc XVII e totalmente reformada recentemente, e é um dos maiores acervos da região de importantes obras de cunho religioso e artístico. O prédio conta com duas belas torres e um anexo, que hoje é uma escola católica, mas que já abrigou o maior convento da Colômbia.

Iglesia de La Candelaria, mais uma linda construção colonial da região

Museo Botero – O maior número de obras do maior e mais famoso pintor, escultor e desenhista colombiano podem ser vistos no Museu Botero. O artista ficou conhecido por retratar formas, animais, sentimentos e pessoas com volumes mais avantajados (os gordinhos de seus quadros e esculturas são de um charme sem igual!). Além de mais de 100 peças de sua autoria, estão outras 87 do próprio acervo de arte pessoal de Botero, e nele se incluem quadros de Matisse, Renoir, Monet, Degas, Miró, Picasso e outros grandes da História da Arte. Pelo conjunto de obras, este Museu se configura como um dos mais importantes da América Latina, ao lado do MASP, do Museu de Belas Artes de Buenos Aires e do Contemporâneo de Caracas. O mais bacana de tudo? É gratuitinho da Silva! Clique aqui para informações adicionais e horários.

Escultura de Fernando Botero exposta no museu do artista

Casa de La Moneda –Trata-se do acervo do Banco da República da Colômbia, e hoje também considerada Monumento Histórico do país.  Localizada anexa ao Museu Botero, e numa casa colonial belíssima, a Casa da Moeda dispõe de maquinários antigos que foram utilizados para a confecção de moedas de prata, ouro e cobre, e conta a história da produção do dinheiro colombiano (cédulas) ao longo dos tempos. Nos andares superiores há, ainda, uma exposição itinerante com trabalhos de grandes artistas colombianos da nova geração. Confira detalhes das exposições aqui.

História da economia do país na Casa de la Moneda

E nos pisos superiores, arte moderna e contemporânea

Centro Cultural Gabriel García Márquez – É um espaço dedicado à cultura que leva o nome do mais famoso escritor colombiano, prêmio Nobel de Literatura (o meu romancista favorito, inclusive!). No Centro há uma livraria com mais de 50 mil títulos, uma galeria de artes plásticas, além de pequenas lojas e uma praça de alimentação (com os famosos Café Juan Valdez e a El Corral hamburgueria).

Parada obrigatória pra quem gosta de ler ou quer comprar livros por bons preços

Catedral Primada de Colombia – Esta igreja em estilo neoclássico é a que você vê em todas as principais fotos de Bogotá, de fato é o principal cartão postal da cidade. Foi a primeira catedral construída em Bogotá, ainda no início do séc. XVI, e hoje também reconhecida Monumento Nacional, dado o seu valor histórico, religioso, cultural e arquitetônico.

Catedral de Bogotá – realmente linda!

Plaza de Bolívar – É a principal praça pública de Bogotá, e no seu entorno estão os principais prédios e instituições da capital e do país, como o Congresso Nacional, o Palácio da Justiça e a Prefeitura de Bogotá.  Entre muitos pombos, ambulantes e artistas de rua, você pode, sim, bater sua mais bela foto de Bogotá!

Eu também tive meus bons momentos de cliques na Plaza de Bolívar

De todos os ângulos, com o Congresso Nacional ao fundo!

Plazoleta del Rosário – Na realidade, esta praça não tem nada de mais, a não ser uma estátua do fundador da cidade (Gonzalo Gímenez de Quesada, que eu também só fui saber quem era no último dia na cidade), mas como praticamente divide a Candelaria do Centrão, é super movimentada e meio que uma passagem obrigatória. Lembra bastante a região da Praça da Sé, em São Paulo. Destaque para as casas no caminho entre a Plaza Bolívar e ela – são lindas!

Ai, ai…as casas charmosas da Candelaria!

Museo del Oro – Já falei dele no outro post, quando o elegi como o mais bacana que visitei em Bogotá.  Confesso que, mesmo adorando museus, eu tava meio sem paciência em visitar este, porque sinceramente não via o que ele poderia me agregar de interessante. Nossa, que ignorância da minha parte, e ainda bem que me fizeram mudar de ideia! Além do maior acervo de ouro da América Latina, o Museu conta boa parte da história da colonização colombiana (na verdade, a parte que eu achei mais legal), o que é bem bacana para se conhecer boa parte da própria cultura do país. Além disso, o prédio todo é tão bem conservado, que dá até gosto (da série “Coisas que o Brasil precisa aprender com a Colômbia”). Para datas, horários e maiores informações, clique aqui.

Museo de La Esmeralda – Fechando o nosso passeio pela sensacional Candelaria (muito embora esses dois últimos museus não ficam exaaaaaatamente na Candelaria, mas vai), sugiro uma espiada no Museu Internacional da Esmeralda, que conta tudo sobre a pedra – desde extração até lapidação, já que a Colômbia é o maior produtor de esmeraldas do mundo.  Bem interessante pra quem curte arte e design!

Outros locais interessantes: Teatro Colón (que é o Teatro Nacional da Colômbia, de um interior super pomposo, mas que está com programação suspensa até jul/2014 por motivo de reforma), Museo de Bogotá (que conta a história da cidade), o Museo de Trajes Regionales (um espaço bem interessante que resgata os valores culturais da Colômbia, bem tradicionalista) e a Quinta de Bolívar (hoje é museu, mas se trata da antiga casa do militar Venezuelano Símon Bolívar, figura-chave na Independência da Colômbia).

Rua clássica da Candelaria, com a Catedral ao fundo

Ah, e como falar da Candelaria sem comentar nas delícias que encontramos por lá? Restaurantes, bares, cafés, lanchonetes que escondem pratos saborosíssimos, pra qualquer hora do dia ou da noite. Como eu me hospedei por ali, tive a chance de comer (MUITO, O TEMPO TODO!) em algumas das ótimas opções do bairro. Seguem minhas sugestões:

Perambulando…e quase sempre pra caçar comida!

El Gato Gris (Carrera 1A #12b-12) – Na Plaza Chorro de Quevedo, esta creperia abre diariamente, e com música ao vivo à noite. Serve café, tragos, vinhos e aperitivos colombianos.

Frida (Carrera 10 #26-40) – Uma das melhores comidas mexicanas que já comi na vida! Sem contar que o lugar é uma graça, lindamente decorado!

Aracataca (Carrera 13 #29-31) – Quer comer comida colombiana boa de verdade? Este é o lugar! Comi ali um Sancocho de Pollo inesquecível!

La Puerta Falsa (Carrera 11 #6-50) Quem olha de fora esse lugarzinho apertado não dá nada pelo lugar e pela comida dele, mas ali estão doces de dar água na boca e o famoso tamal con chocolate, iguaria famosa colombiana. Comer no La Puerta Falsa é também um programa cultural, além de tudo, já que o local é o mais tradicional de Bogotá, com portas abertas desde 1836!

Cafetería La Romana (Av Jímenez #6-65) – Bem próxima ao Museo del Oro e à Plaza Santander (super central!), também serve café (com menús bem recheados para o café da manhã, inclusive), mas o forte mesmo é a culinária italiana. O preço é um pouco superior aos de outros restaurantes da Candelaria (gastei COP 27.000 num prato de lasanha, quase R$30 – mas que ainda é barato comparando com o Brasil), mas vale a fama de ser o italiano mais tradicional de Bogotá. Bom pra quem, como eu, não sabia mais o que comer e não queria errar na escolha!

Pastelería Francesa (Calle 9 #2-18) – Amo café e tudo que se relaciona a ele, então quando passei na frente dessa cafeteria francesa, quase morri! Não vou falar nada, segue o vídeo do local, que é de dar água na boca:

Para saber mais sobre a Candelaria:
Site oficial da cidade /  Site oficial da Candelaria, Patrimônio Cultural da Cidade / Info Candelaria

Fotos: todas minhas. Reprodução proibida sem prévia autorização (de acordo com a Lei 9.610 de 19/02/98, de Direitos Autorais)

Talvez também se interesse por:

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>