Viagem: dicas de Toronto – Parte II 4


(Continuação do post anterior)

YONGE STREET – A principal e mais badalada rua da cidade, que a corte norte a sul. Com ótimas opções para compras, lazer e comidas.

ROYAL ONTARIO MUSEUM – Tem gente que não suporta visitar museu, até admito que se gasta um bom tempo em cada um deles pra fazer uma visita mediana (então, se o tempo é pouco, melhor cortar), mas eu sou super fã e acho que sempre vale a pena. O ROM tem um vastíssimo acervo, com peças de arte e também arqueologia, e sempre com exibições de fotógrafos, artistas plásticos renomados, historiadores e até de moda! Preço: CAD 16 (adulto).

Dica número 6: Se a sua visita a Toronto coincidir com um final de semana, deixe o museu para o fim de tarde da sexta. É que todas as sextas-feiras, a partir das 16h30, alguns museus (incluindo o ROM) são de graça!!

SONY CENTRE FOR THE PERFORMING ARTS (antigo “Hummingbird centre”) – Palco de grandes shows, estrelas da música, de óperas, espetáculos de ballet. Ótima opção de entretenimento (de qualidade!) noturno! Quando fui, assisti ao “The National Ballet of Canada” (coisa de ex-bailarina!).

Dica número 7: Os ingressos para grandes performances e shows internacionais sempre esgotam muito rapidamente. E, se tem na hora, costumam ser bem mais caros. Se a viagem já está programada, vale visitar o Ticketmaster e conferir se, durante a estadia na cidade, vai acontecer algum grande show ou espetáculo e já reservar ingressos!

THE BATA SHOE MUSEUM – Mais um para apreciadores de “velharias”, como euzinha. E esse aqui também entrou pra minha lista de “contribuidores para minha cultura inútil”. Bom…claro que eu falo brincando, porque realmente achei um dos mais interessantes em que já fui – é o museu dos sapatos, com mais de 13 mil pares, contando a história (de mais de 4.500 anos!) e origem de cada um deles. Para amantes de moda e história, é um prato cheio! Preço: CAD 12 + taxas (adulto).

ENTERTAINMENT DISTRICT - A região próxima à King Street, que na realidade é conhecida como Distillery District (por ser uma antiga destilaria), agrega vários teatros, como o THE ROYAL ALEXANDRA THEATRE e PRINCESS OF WALES THEATRE. Neles, é possível assistir a musicais como “Cats”, “Les Misérables”, “O Mágic de Oz”…

Dica número 8: achei os preços dos ingressos de shows e teatros caríssimos em Toronto (comparado com o de outras grandes cidades)! Pra curtir as atrações sem gastar tanto, sugiro levar a carteira internacional de estudante (que eles aceitam por lá em vários locais!) pra quem é estudante; e pra quem não é, compensa vasculhar, nos próprios hotéis mesmo, cupons de desconto (aquele mesmo que usei pra ir na CN Tower!) para as principais atrações, musicais etc. Sempre dá pra pagar com, pelo menos, 10% de desconto! Quem quiser arriscar um valor ainda menor, dá pra ir até o guichê da T.O.Tix (funciona da mesma forma como o TKTS de Nova Iorque), na Dundas Square e caçar as “liquidações” de ingressos – quanto mais próximo do início do espetáculo, mais barato fica, já que a intenção deles é “desovar” os ingressos e lotar as casas, mesmo. Se for, no entanto, vá com paciência, porque às vezes a fila é bemmmm grande…

YORKVILLE – A região da Bloor-Yorkville, que até meados de 60 era considerada a boêmia da cidade, escolhida por vários intelectuais como zona residencial e de lazer, hoje virou a área mais sofisticada de Toronto. Lojas de grife (Prada, Gucci, Hermès e congêneres), galerias de arte, antiques, restaurantes-boutique…tudo isso se encontra por lá. Um luxo só!

Fachada do St Lawrence Market no charmoso Old Toronto

ST. LAWRENCE MARKET – O famoso Mercado de Toronto, com mais de 200 anos, na região da Old Town (que é super bacana!), e que foi eleito pela National Geographic como o melhor do mundo. Super organizado, limpo e realmente cheio de boas coisas, como artesanato, frutas, verduras, alimentos frescos, especiarias.

Dica número 9: Sabe o que eu fiz e que foi bem bacana? Comprei um sanduíche feitinho na hora, algumas frutas e biscoitos, com suco natural também feito na hora, e me sentei numa das praças pra fazer um lanche. Como eu tava sozinha e fazia frio, até não teve tanta graça o meu “self” piquenique, mas é uma ideia bem legal – e, aliás, bem comum – pra se fazer em Toronto na primavera/verão.

NEIGHBOURHOODS – GREEK TOWN, POLAND TOWN, LITTLE INDIA, KOREA TOWN… – Se for pra dar uma volta nesses bairros sem grandes expectativas, compensa o passeio! Quase todos eles ficam bem afastados de downtown, demandam um bom tempo no metrô, mais outro nos bondes, mas é bacana pra ver lojas típicas de cada país, pessoas bem diferentes, arquitetura diferenciada e, principalmente, provar da culinária dos bairros.

Dica número 10: Quis ir ao bairro grego, ao italiano a ao indiano especialmente pela comida. Pra saborear alguma coisa boa a um preço acessível. E uma coisa que vi em Toronto e achei genial foram os “Food Tours”. Existem passeios guiados para restaurantes temáticos e internacionais, principalmente nos “neighbourhoods”. Um deles é este aqui. Infelizmente eu li o tour num cartaz quase na hora de ir embora, e não consegui combinar minha saída com nenhuma disponível. Mas pelo mesmo cartaz, anotei umas ótimas sugestões de cafés e restaurantes e fiz por conta! Não teve o mesmo charme que teria se tivesse sido guiado por um cheff, mas adorei a experiência!

Uma última dica: Como a linha de transporte de Toronto é interligada (realmente como a de São Paulo), às vezes um passe do metrô possibilita continuar no bonde, quando o metrô não chega até o destino escolhido. Isso eu descobri perambulando por esses bairros mais distantes. Então é bom verificar antes por aqui, pra que não seja necessário pagar duas vezes (pelo metrô e pelo bonde) sem ter necessidade!

QUEEN´S QUAY – É, na verdade, o Queen´s Quay Terminal, região de portos, de onde saem os ferries para o lago Ontario e a The Beach. Bem lindo o lugar. Dá pra ter uma visão bacana do skyline de Toronto, então daí já se imaginam as belas fotos que podem ser tiradas. Mas eu fiquei pensando como aquela baía deve ser bem melhor com menos frio (não esqueçam que eu peguei a temperatura em quase 0°C). Dava pra contar o número de pessoas que tinha por lá!! Pudera, ventava MUITO e fazia um frio realmente meio chato de suportar, pelo fato de o lugar ser muito aberto. Por conta disso, resolvi não fazer o passeio pelo THE BEACH e pelas TORONTO ISLANDS. Vai ficar pra uma próxima visita à Toronto, que eu prometi pra mim mesma que não vai tardar…

OUTROS PONTOS DE INTERESSE (E BOAS PARADAS PRA RECHEAR O ÁLBUM DE FOTOGRAFIA!!)

– PARLAMENTO CANADENSE
– PREFEITURA DE TORONTO (CITY HALL E OLD CITY HALL)
– UNIVERSIDADE DE TORONTO
– QUEEN´S PARK
– UNION STATION
– SPADINA MUSEUM
- ROYAL YORK - O hotel mais antigo, luxuoso e sofisticado de Toronto. Eles permitem a entrada ao saguão para fotos. É realmente um belíssimo exemplo da arquitetura em estilo Beaux Arts.
- TORONTO ISLANDS
– THE BEACHES
– TORONTO ZOO – Esses três últimos, não cheguei a ir, principalmente pelas condições do tempo. E o zoológico, por não achar que seria tão divertido pra se fazer sozinha. Mas todo mundo que vai, adora, e deve ser um passeio super legal para famílias.

E aí, já deu vontade de ir pra lá AGORINHA??

Talvez também se interesse por:

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

4 thoughts on “Viagem: dicas de Toronto – Parte II

    • susanasteil Autor

      Ah, que bacana ler isso, Camila!
      Aproveita bastante, o Canadá está na minha lista de “países preferidos’ e “viagens mais bacanas que fiz na vida”…
      E se tiver alguma dúvida, volta!
      Xeretei teu blog pelo insta (que vi tua solicitação) e pelo face…muito bacana! Sucesso pra vocês!
      Beijoca!

  • Julliana Assis

    Oi, tudo bem? Estou montando meu roteiro pela costa leste canadense e amei suas dicas!
    A única duvida que fiquei é sobre como ficou dividido os seus dias pra cada cidade. Pretendo passar por essas 4 cidades em 15 dias, depois seguirei para vancouver onde ficarei mais 1 mês e meio, fazendo curso de inglês e viajando.

    Obrigada!

    • susanasteil Autor

      Oi, Juliana!! Obrigada pelo comentário!
      Eu fiz em 14 dias, na seguinte ordem:
      3 1/2 em Toronto, 3/12 em Montreal, 2 1/2 em Quèbec, 2/12 em Ottawa e mais praticamente 2 dias inteiros em Toronto novamente na volta…
      Até achei a ordem e a divisão bem boas, mas daria um jeito de acrescentar pelo menos 1 dia em Montreal (que foi a que eu mais amei!)…Ottawa e Quèbec podem ser vistas em 1 dia e meio cada (tipo, se fosse pra cortar alguma coisa, cortaria dessas)…
      Em 15 dias vai dar pra ver tudo sem pressa, talvez até alguma outra cidade das redondezas…vai ser demais!
      Se tiver outra dúvida, pode voltar!
      Uma ótima viagem e sucesso no teu curso! Beijos!