Viagem: Punta Cana mais a fundo 8


Já que falei sobre esse destino no post anterior, dando algumas dicas básicas, dediquei este para dar informações extras – as 10 coisas que você precisa ter em mente antes de ir a Punta Cana. Aí vão:

1. É uma viagem que se baseia no esquema de “resorts” e é isso. Ou mais ou menos isso. O que quer dizer que quem não curte essa coisa de ficar uma semana inteira num hotelão, tem que repensar no destino da viagem (tá…meio difícil, ou quase impossível, achar quem não goste de aproveitar a comodidade de um all inclusive, mas de repente não é o propósito da próxima viagem…isso que quis dizer. Às vezes a pessoa tá interessada em circuitos culturais, história, esse tipo de coisa, e não em ficar apenas relaxando…). Sabendo disso, e como eu já falei, escolha um bom hotel, que tenha a ver com o seu perfil (casal, família, solteiro…) e seja feliz sem pensar em mais nada por uma semana!

2. Não vá pra lá pensando em encontrar uma super infraestrutura urbana. Eu não exagerei muito quando disse que não existem muitas coisas a serem feitas em Punta Cana FORA DOS LIMITES DOS HOTÉIS. O que não quer dizer necessariamente, claro, que não é bacana, nem que não se tem o que fazer. Tem, sim. E muito… Mas tudo por lá acontece nos resorts, ou em passeios de meio dia, ou de dia inteiro. A cidade, em si, não tem maiores atrativos (aliás, a realidade é muito diferente fora dos hotéis…), o que quer dizer que não existe um centrinho “visitável”, nem muitos mercados, farmácias, menos ainda transporte público eficiente. Quem quer ter mais coisa pra fazer fora do hotel e ainda assim aproveitar a praia, deve ir pra Cancun ou Miami, por exemplo.

3. Punta Cana não é apenas um destino para casais. É TAMBÉM um destino pra casais. Uma das coisas que mais gostei de lá foi a versatilidade do lugar, em todos os sentidos. Fiquei com um certo receio de ir pra lá e me deprimir por só ver programação voltada pra recém casados e afins (e eu fui solteira e sem o propósito de uma viagem romântica…). Mas Punta Cana agrada todo mundo: tem atividades pra casais, pra famílias, pra crianças, pra jovens, pra terceira idade, pra grupos, pra solteiros…difícil não se ambientar por lá! Todo mundo, independentemente da companhia, acaba se divertindo!

4. Nunca, jamais, em hipótese alguma cogite a possibilidade de ir pra lá estando de dieta. Isso porque é impossível não exagerar na comilança! Tem comida à disposição 24 horas por dia!! O que deve ser feito é preparar um regime imediatamente quando voltar pra casa, aí sim, será mais do que necessário!

5. A tal da mamajuana é forte e embebeda, mesmo. Uma das bebidas típicas da República Dominicana, a mamajuana, é feita com ervas da região, e servida numa mistura de mel, rum e vinho tinto. Dizem os nativos que, em pequenas doses, ela tem propriedades medicinais – cura desde gripe até problemas de circulação e cálculo renal (alguém conhece as típicas “garrafadas” brasileiras, geralmente feitas pelas nossas vovós? Então…é bem parecida!). A grande fama, porém, é a de que ela é um “viagra natural”…Bom, dessas partes eu não sei, mas só sei que provei uma dose mínima (porque não bebo) e vi que o troço levanta até defunto! Beba com moderação, porque álcool + mar / álcool + piscina é sempre uma combinação perigosa…

6. Os dominicanos são de uma simpatia inigualável. Eles estão sempre de bem com a vida, são muito bons de papo e fazem o possível pra que todo mundo se divirta e saia falando o melhor possível da República Dominicana. Como o turismo é a segunda maior fonte de renda do país (sendo a agricultura a primeira), eles realmente encaram como trabalho sério, como “ganha pão” (e é o que sustenta grande parte das famílias da região), e querem agradar os patrões, que no caso somos nós, turistas. Fui muito bem atendida em todos os lugares, e dois episódios, em particular, chamaram muito minha atenção pra isso: 1. num deles, insisti com um vendedor de passeios que queria fazer um snorkel numa das ilhas próximas, mas nunca dava porque pra cada dia eu já tinha agendado algum passeio bem no horário das saídas dos barcos… tinha até desistido de alimentar peixinhos, quando ele me garantiu que eu não voltaria pro Brasil sem fazer o que eu tava querendo…o que ele fez? Implorou pra um grupo de canadenses me acompanhar e criou uma saída extra pra snorkel na hora do almoço…e, de quebra, ainda me deu um desconto, pra que eu ficasse ainda mais feliz!; 2. o segundo episódio foi que, mesmo depois do check-out, o atendente do lobby permitiu que ficássemos todos na praia curtindo um sol, e depois disponibilizou uma suíte pra quem quisesse tomar banho e se arrumar pra ir ao aeroporto…também nos deixou comer e beber normalmente, até que a nossa van chegasse (no fim da tarde) – geralmente, nos hotéis onde me hospedo, os gerentes são bem intransigentes com essa coisa de liberação do quarto – é sempre meio-dia e nem um minuto a mais, senão cobram outra diária…Essa coisa de “o cliente tem sempre razão, agrade-o a todo momento” funciona por lá!

7. Saiba pechinchar, mas também premie (com gorjetas) os bons atendimentos! Bem pelo motivo que falei acima (a de que eles querem agradar o turista a qualquer custo), quase sempre (principalmente quando não se tratar de algum preço fixo do resort) eles vão negociar os preços! Eles dão descontos em várias coisas! Porém, sempre que julgar que um atendimento foi melhor que o esperado, ofereça gorjetas ou, no mínimo, faça um comentário positivo do funcionário para gerência do hotel (por escrito) – eles esperam por essas coisas! Lembre-se: eles vivem do turismo!

8. Quer se acabar fazendo compras? Não se iluda com Punta Cana, que está longe de ser um shopping a céu aberto (sim, porque brasileiro ama comprar, nunca vi! Então é importante um tópico esclarecedor nesse sentido…). Até existem, sim, opções de compras por lá – além de lojinhas de artesanato e de free shop (pequeno) em alguns resorts, o Palma Real Shopping Village tem algumas boas lojas (como Diesel, Hard Rock, Tommy, Puma, Converse, Swarovski, Pandora, Guess…) mas não é grande, nem repleto de opções a preços irresistíveis, não. O próprio shopping oferece transporte gratuito para alguns hotéis, é claro que vale um pulinho, só que não dá pra se esbaldar. Quem pensa em sacolar de verdade deve fazer conexão/ stop-over em Miami ou até mesmo na Cidade do Panamá.

9. Não vá pão duro pra Punta Cana. A cidade não é cara, tem valores bem razoáveis, e é bem verdade que quem entra nesse esquema de “all inclusive” não tem muito o quê gastar de extra. Só que a oferta de passeios e coisas pra se fazer é gigantesca e, é claro, ninguém é obrigado a fazer tudo que oferecem, mas deixar de lado só pra “não querer gastar nada além do que já foi pago” é triste! Uma ou outra coisa (de mergulho, passeio de barco etc.) é interessante que entre no cronograma de atividades! Se for pra só ficar torrando no sol, comendo e bebendo, mais vale ficar aqui no Brasil mesmo, certo? Daí, pelo menos, dá pra economizar os quase US$900 da passagem…

10. Entre no clima! Bachata, salsa, merengue, lambaeróbica na praia…bingo, gincana, competições na areia…sabe essa coisa meio Porto Seguro?? Pois bem…Não dá pra ir pra lá esperando o cúmulo do sossego (existem ilhas bem mais desertas e exclusivas no Caribe, como Los Roques e Curaçao, por exemplo)…quer dizer, até dá pra sossegar e ficar bem quietinho, pra quem só quer ver um mar bonito e uma praia paradisíaca…Mas o bacana de lá é esse clima divertido: todo mundo dançando, brincando e se divertindo…Tudo bem colorido, bem “pra cima”, bem caribenho! Se for pra lá, relaxe e…perca a timidez! Garanto que não vai se arrepender!!

Talvez também se interesse por:

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

8 thoughts on “Viagem: Punta Cana mais a fundo

  • Valerio Steil Filho

    Susana
    Gostei muito de seus comentários sobre Punta Cana. Estou viajando para lá em setembro, para o casamento de uma prima “nossa”.Suas informações serão muito úteis.
    Se voçe permitir, farei mais perguntas em um próximo contato.

    • susanasteil Autor

      Que bacana que uma prima “nossa’ vais e casar por lá! Hehe…O lugar é super bacana! Além da ocasião do casamento, realmente Punta Cana tem outros atrativos que vão agradar geral! E, claro, pode fazer quantas perguntas forem necessárias! Ou reaparece aqui nos comentários, mesmo, ou manda email pra blog@susanasteil.com.br, que tiro todas as dúvidas…Obrigada, brijão!

    • susanasteil Autor

      Oi, Thaiz!
      Eu costumo pesquisar no site decolar.com, mesmo…Os valores são sempre bem bons!
      Pra conhecer as outras praias, ou até mesmo a Capital Santo Domingo, eu recomendo passeios! Não acho que lá seja um local muito bacana pra aluguel de carro, não!
      Os passeios de lá não são caros e existem vários, pra outras praias, cachoeiras, cidades etc. Fora a comodidade de não ter que se estressar com anda! Sugiro o site da Colonial tours e o da Viator, duas das empresas de turismo que operam lá! Neles tem opções e valores!
      Boa viagem!

  • Barbara

    Irei para Punta Cana em um curso e ficarei dois dias em hostel. Você acha que tem algo para se fazer sem ser nos hotéis e sem ser programa de casal?

    • susanasteil Autor

      Oi, Barbara!
      Em Punta Cana a boa parte da graça está mesmo na questão dos resorts (porque a cidade e as praias, de certa forma, não tem, muita estrutura pra quem está avulso)…se você puder investir um pouco mais, nem que sejam 2 dias, realmente indico a escolha de um all inclusive, porque realmente quase tudo gira em torno de hoteis e do entretenimento que eles oferecem.
      De qualquer forma, a maioria dos passeios independe da hospedagem. Dá pra ir à Isla Catalina, à Isla Saona, dá pra fazer snorkel, mergulho, passeio com golfinhos…nada disso depende do resort.
      Passeios pra solteiros, mesma coisa. Fui a Punta Cana quando estava solteira e me diverti bastante.
      Espero ter ajudado!
      Beijos!